Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Líderes mundiais defendem globalização em fórum sobre infraestrutura na China - Jornal Brasil em Folhas
Líderes mundiais defendem globalização em fórum sobre infraestrutura na China


Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, defenderam a globalização e a liberalização do comércio no mundo em contraposição à retórica protecionista que ganha força em algumas nações. Eles discursaram durante a abertura do Fórum do Cinturão e da Rota para a Cooperação Internacional (Belt and Road Forum for International Cooperation, em inglês) que começou hoje (14), em Pequim.

O evento conta com a presença de quase 30 líderes mundiais e faz parte da iniciativa Um Cinturão, Uma Rota (One Belt, One Road) lançada em 2013 pelo presidente chinês Xi Jinping e que visa promover uma agenda comum e acordos de cooperação para desenvolver projetos de infraestrutura, comércio e cooperação econômica ao longo dos mais de 60 países que compõem o que Pequim pretende estabelecer como uma nova Rota da Seda, revivendo as rotas milenares que conectavam comercialmente o Ocidente e o Oriente, notadamente em países da Ásia, Europa e África.

“Abertura ameaçada”

Putin ressaltou que o mundo tem enfrentado sérios desafios com o avanço do protecionismo. Para ele, não é possível resolver os problemas globais com uma lógica ultrapassada. “A abertura para o mundo está sendo ameaçada. A crise global traz desafios para a segurança internacional, como o terrorismo e os conflitos regionais, que persistem. Temos que encontrar novas formas de aproximação [multilateral] com respeito à soberania [nacional]”, falou.

Para o presidente russo, os países precisam dar passos concretos no sentido de diminuir o déficit em infraestrutura e a burocracia para que bens e serviços possam fluir mais rapidamente pela Eurásia. “[Essa] é uma iniciativa promissora”, completou, se referindo às propostas do fórum.

O presidente da Turquia, Recep Erdogan, destacou em seu discurso que o centro de gravidade do mundo em termos econômicos está se movendo para o Oriente, com o crescimento acelerado da Ásia. “Queremos trabalhar próximos da China e de outros países ao longo da nova Rota da Seda”, disse ele, que ressaltou o posicionamento estratégico de sua nação situada entre a Ásia e a Europa.

O líder turco lembrou que o planeta vive uma era de rápida globalização e que o sucesso da proposta Um Cinturão, Uma Rota vai depender da redução de barreiras alfandegárias e da implantação do livre comércio. “É fundamental que a iniciativa seja benéfica para todos e esteja baseada na estabilidade”.

Desenvolvimento Sustentável

Também presente no fórum, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, ressaltou a necessidade da iniciativa chinesa estar conectada à Agenda 2030 das Nações Unidas, que estabelece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e 169 metas globais, assumidas por diversos países.

“A posição da China para o clima é crucial. O país também é fundamental para o multilateralismo e para a Agenda 2030. Construir a iniciativa Um Cinturão, Uma Rota é um primeiro passo para um mundo de prosperidade e para que ninguém seja deixado para trás”, disse Guterres.

*A repórter viajou a convite do Centro de Imprensa China-América Latina e Caribe

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212