Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Iranianos comparecem às urnas para escolher seu presidente - Jornal Brasil em Folhas
Iranianos comparecem às urnas para escolher seu presidente


Os iranianos votavam nesta sexta-feira para a eleição presidencial, uma disputa entre o atual atual mandatário, o moderado Hassan Rohani, que aspira o segundo mandato, e o religioso conservador Ebrahim Raissi.

As seções eleitorais abriram às 3h30 GMT (0h30 Brasília) para 56,4 milhões de eleitores habilitados, que se pronunciarão entre a manutenção da política de abertura promovida por Rohani e o nacionalismo defendido por Raissi.

A votação será estendida até tarde para que todos os eleitores possam depositar sua cédula.

Tanto na capital Teerã como nas províncias, o fluxo de eleitores era grande desde o início da votação, com longas filas em alguns locais.

Após 12 horas de votação, às 20h00 (12h30 de Brasília), 30 milhões de eleitores já haviam votado, segundo a imprensa local.

A taxa de participação, que é a grande incógnita da eleição, deve superar 72%, de acordo com o ministério do Interior.

A participação entusiasmada dos iranianos na eleição reforça o poder e a segurança nacional, declarou o presidente Rohani depois de votar em Teerã.

Seu rival, Ebrahim Raisi, que votou em uma mesquita em um bairro operário da zona sul da capital, destacou a previsão de uma grande participação.

Mas antes do fim do dia eleitoral, o campo de Raisi denunciou infrações e exigiu uma intervenção imediata contra ações de propaganda de algumas autoridades e simpatizantes do governo a favor do atual presidente.

Além disso, denunciou que o nome de Ebrahim Raisi estava mal apresentado nas listas dos colégios eleitorais e que não havia cédulas suficientes nas zonas desfavorecidas, mais favoráveis ao candidato conservador.

- Votar em massa-

O balanço do governo de Rohani, 68 anos, é questionado por Raissi, 56 anos, ligado ao guia supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei.

Um dos primeiros a votar na urna instalada em sua residência de Teerã foi Khamenei, que pediu aos compatriotas que compareçam às urnas em massa, o mais cedo possível.

O célebre diretor iraniano Asghar Farhadi votou em Cannes (sul da França), onde participa no festival de cinema, em uma das urnas que a embaixada do Irã instalou na França, informou a agência de notícias Isna.

As eleições ocorrem dois dias depois da decisão dos Estados Unidos de renovar a suspensão das sanções contra o Irã, seguindo o acordo nuclear assinado em 2015 entre Teerã e as grandes potências.

Eleito em 2013 com 50,7% dos votos, Hassan Rohani dedicou a maior parte de seu primeiro mandato de quatro anos à negociação do acordo que permitiu iniciar abertura econômica e política de seu país.

Mas a desconfiança entre Teerã e Washington persiste. A manutenção do acordo nuclear foi acompanhada por novas sanções americanas sobre o programa balístico do Irã.

A desconfiança aumentou após a chegada ao poder do presidente americano Donald Trump, que adicionou sanções não relacionadas com a questão nuclear desde janeiro.

No fim de semana, Trump comparecerá a uma reunião de cúpula com autoridades muçulmanas de todo o mundo na Arábia Saudita, grande rival do Irã na região.

A intenção de Rohani, apesar da hostilidade de Trump, é prosseguir com a abertura internacional para atrair mais investimentos, enquanto Raisi tem um discurso ode de defesa das classes mais desfavorecidas.

Além do acordo nuclear, o presidente pode afirmar que conseguiu uma impressionante queda da inflação, que passou de quase 40% em 2013 para 9,5% atualmente.

Sem questionar o acordo nuclear, desejado pelo guia supremo Ali Khamenei, Ebrahim Raisi criticou a falta de resultados do compromisso, que segundo ele não favoreceu os mais necessitados.

Raisi critica os números do desemprego, que afeta 12,25% da população e 27% dos jovens, e acusa o governo de Rohani de trabalhar apenas para os 4% mais ricos do país.

Além da votação presidencial, os 56,4 milhões de eleitores participam nas eleições municipais. O desafio das grandes cidades de Teerã, Machhad (noreste) e Isfahan (centro) é conseguir alterar a maioria conservadora que as governa.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212