Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Grécia espera nova parcela de ajuda internacional, após aprovar medidas de austeridade - Jornal Brasil em Folhas
Grécia espera nova parcela de ajuda internacional, após aprovar medidas de austeridade


O governo de Alexis Tsipras espera que os credores da Grécia desbloqueiem outra parcela do empréstimo acordado ao país e abram a possibilidade de aliviar a dívida grega, depois da aprovação pelo Parlamento de novas medidas de austeridade.

A bola está no campo dos credores, agora cabe a eles respeitar seus compromissos como nós fizemos, declarou nesta sexta-feira o primeiro-ministro Tsipras, após a votação no Parlamento de medidas de cortes das aposentadorias e aumento dos impostos por um total de 4,9 bilhões de euros.

Nós esperamos e nós merecemos uma decisão na segunda-feira durante o Eurogrupo (reunião de ministros das Finanças da zona do euro) sobre o pagamento da dívida pública, que corresponde aos sacrifícios do povo grego, disse ele a repórteres.

O governo grego acusa a Alemanha pelo atraso nas negociações sobre alívio da dívida grega, uma questão que Berlim não tem nenhuma intenção de tratar a poucos meses das eleições legislativas no país.

As novas medidas exigidas pelos credores da Grécia - União Europeia (UE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) - só foram aprovadas pela coalizão governamental formanda pelo Syriza, o partido de esquerda radical de Tsipras, e a formação nacionalista Anel.

Entre os 281 deputados presentes no Parlamento, 128 votaram contra.

Dois artículos destinados a mitigar parcialmente essas medidas, a supressão dos benefícios fiscais dos deputados e a redução do IVA para a compra de equipamentos agrícolas, tiveram o apoio de uma grande maioria dos deputados, desde o partido de direita Nova Democracia aos comunistas do KKE.

Horas antes da aprovação da lei e enquanto Tsipras pedia aos deputados para que votassem a favor, incidentes eclodiram em frente ao Parlamento.

À margem de uma manifestação convocada pelos sindicatos, um grupo de jovens jogou coquetéis Molotov contra a polícia de choque, que respondeu usando gás lacrimogêneo.

- Acordo global -

Os novos cortes e aumentos de impostos serão aplicados nos anos seguintes ao atual plano internacional de ajuda (2015-2018), ou seja, entre 2019 e 2021, no marco do orçamento a médio prazo debatido no Parlamento na segunda-feira.

A lei também inclui outras medidas de compensação, como ajudas ao pagamento do aluguel e para compra de medicamentos pelos mais pobres.

Os credores da Grécia exigiam tais medidas para desbloquear uma parcela de 7 bilhões de euros de empréstimo, que servirão principalmente para reembolsar 4 bilhões de euros ao Banco Central Europeu (BCE) em 20 de julho e 2 bilhões a investidores privados.

Atenas espera agora que a UE e o FMI concordem com medidas para facilitar o pagamento de sua enorme dívida pública, que atinge 179% do PIB.

Depois de sete anos de crise, esperamos ter um acordo global [com os credores] que inclua medidas de alívio da dívida, afirmou Tsipras perante a Assembleia.

O primeiro-ministro reconheceu que as novas medidas são difíceis, mas afirmou que espera que contribuam para a estabilidade e a recuperação do país.

De acordo com o roteiro do governo, na sequência do acordo com os credores, a Grécia poderia beneficiar do programa de compras de ativos do BCE e voltar aos mercados de títulos para financiamento.

A Grécia, que mantém uma política de austeridade imposta pelos credores desde 2010, não consegue sair da recessão. O PIB contraiu 0,5% no primeiro trimestre depois de registrar um crescimento zero em 2016.

 

Últimas Notícias

Instituições financeiras reduzem previsão de déficit primário em 2018
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% em 2019
Eletrobras: suspensão de leilão se estende a Amazonas Energia
BNDES voltará a subscrever ações de empresas
Juros do cheque e empréstimo pessoal em 2018 foram menores que em 2017
São Paulo fecha ano com 9,9 milhões de empregos formais no comércio
Governo libera 100% de capital estrangeiro nas aéreas nacionais
BNDES fecha o ano com desembolsos de R$ 71 bilhões

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212