Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Último dia de negociações sobre a Síria sob tensão após bombardeio americano - Jornal Brasil em Folhas
Último dia de negociações sobre a Síria sob tensão após bombardeio americano


As negociações de paz sobre a Síria organizadas pela ONU em Genebra terminaram nesta sexta-feira sem avanços, em um contexto de tensão após o bombardeio americano no dia anterior contra forças do regime perto da fronteira jordaniana.

O enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou ao final das discussões que pretende retomar o diálogo em junho.

Ele se reuniu nesta manhã com a delegação de Damasco, liderada pelo embaixador Bashar al-Jaafari, e na parte da tarde com o Alto Comitê de Negociações (HCN), que se reúne a oposição.

Por falta de tempo, o diplomata ítalo-cueco explicou que as partes não conseguiram discutir os quatro assuntos pautados na agenda: luta contra o terrorismo, governança, nova Constituição e organização de eleições.

Agressão

Paralelamente às negociações, as tensões aumentavam um dia após o bombardeio pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos de um comboio ligado ao regime sírio perto da fronteira com a Jordânia, seis semanas após os primeiros ataques aéreos ordenados pelo governo Trump na Síria.

Nesta sexta-feira, o secretário americano da Defesa, Jim Mattis, afirmou que as forças pró-regime atingidas na quinta-feira eram sem dúvidas enviadas pelo Irã.

O bombardeio foi provocado por um movimento ofensivo, com capacidades ofensivas, de forças que acreditamos terem sido enviadas pelo Irã, indicou Mattis durante uma coletiva de imprensa no Pentágono.

A Síria condenou esta agressão da coalizão, enquanto o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Gennady Gatilov, citado em Genebra por agências de notícias russas, denunciou um bombardeio inaceitável.

Ao falar à imprensa em Genebra, Jaafari citou um massacre.

A Rússia condenou o bombardeio ilegítimo pela coalizão, nas palavras do ministro das Relações Exteriores, Sergueï Lavrov.

Seja qual for a razão que motivou a decisão do comando dos Estados Unidos de realizar tal bombardeio, é ilegítimo, ilegal e outra grave violação da soberania da Síria, ressaltou nesta sexta-feira o chefe da diplomacia russa, citado pela agência de notícias Interfax numa conferência de imprensa em Nicósia.

A Síria não informou um número de vítimas. Mas segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), oito pessoas em sua maioria não-sírias morreram no ataque.

Um porta-voz do HCN, Yehya al-Aridi, considerou se tratar de uma ação robusta contras as forças estrangeiras que transformaram a Síria em um campo de batalha.

O bombardeio visou as forças pró-regime (...) que representavam uma ameaça para as forças americanas e as forças aliadas (sírias) em At-Tanf, perto da fronteira jordaniana, segundo declarou o coronel Ryan Dillon, porta-voz militar da coalizão anti-extremista liderada por Washington.

Em seis anos, a guerra causou a morte de mais de 320.000 pessoas e forçou metade da população a deixar suas casas.

Os esforços para acabar com o conflito correm em dois circuitos paralelos: o da ONU em Genebra, e aquele centrado em questões de segurança em Astana, capital do Cazaquistão, por iniciativa da Turquia, que apoia os rebeldes, e da Rússia e o Irã, aliados do regime sírio.

Em 4 de maio, os três países assinaram um importante acordo prevendo a criação de zonas de desescalada na Síria a fim de limitar o derramamento de sangue.

Já nas Nações Unidas, após cinco rodadas de diálogos sem sucesso desde fevereiro de 2016, a assessoria do enviado especial da ONU para a Síria anunciou na quinta-feira um resultado tangível: conversas de funcionários da ONU com especialistas do governo e com a oposição para tratar de questões jurídicas e constitucionais relacionadas com os diálogos inter-sírios.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212