Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 FMI monitora situação do Brasil e descarta contágio na região - Jornal Brasil em Folhas
FMI monitora situação do Brasil e descarta contágio na região


O Fundo Monetário Internacional (FMI) monitora a situação do Brasil depois do escândalo de corrupção que atinge diretamente o presidente Michel Temer e descarta um contágio na região, segundo explicaram nesta sexta-feira diretores do organismo.

O diretor do departamento do Hemisfério Ocidental do FMI, Alejandro Werner, considerou em São Paulo que ainda é cedo para realizar um diagnóstico sobre as consequências que a nova crise política no Brasil terá no campo econômico.

Werner disse que nas próximas semanas o organismo seguirá de perto os acontecimentos do Brasil com o fim de avaliar futuras projeções econômicas, embora por enquanto manterá seus prognósticos.

Segundo o FMI, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil subirá tímido 0,2% este ano e chegará a 1,7% em 2018, depois de dois exercícios consecutivos em números vermelhos pela primeira vez desde a década de 1930.

A economia do país caiu 3,8% em 2015, seu maior tropeço em 25 anos, e perdeu 3,6% em 2016, entrando em uma profunda recessão.

Deve-se ter cautela. Vamos ver como as coisas se desenvolverão e com as coisas mais claras avaliaremos as projeções econômicas, assegurou Werner em um encontro com jornalistas em São Paulo, antes da apresentação do relatório As Américas. História de dois ajustes.

O FMI acredita que as probabilidades de contágio a outros países da América latina são mínimas, já que, a seu julgamento, as economias da região têm espaço suficiente de manobra, reservas internacionais e saúde nas folhas de balanço dos bancos e das principais corporações.

Quando houve a crise política do Brasil há dois anos, ou a volatilidade do México para a incerteza sobre a possível renegociação do tratado de livre comércio, o impacto regional foi limitado, disse o diretor do FMI.

Nesta ocasião, a probabilidade de um contágio é menor, acrescentou.

Os mercados agem com volatilidade, mas com normalidade. Os esquemas do Governo e a ação do Banco Central para que se mantenha a liquidez foi o adequado para que o mercado aja de maneira correta, embora com incerteza, finalizou Werner.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212