Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 País tem amortecedores robustos para momentos de crise, diz presidente do BC - Jornal Brasil em Folhas
País tem amortecedores robustos para momentos de crise, diz presidente do BC


O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse hoje (19) que o Brasil tem “amortecedores robustos” e, por isso, está menos vulnerável a choques internos e externos. A afirmação foi feita em reunião-almoço, promovida pelo banco Santander, em São Paulo, em evento fechado à imprensa.

“A política econômica doméstica mudou de direção há um ano, e as reformas implementadas neste curto período mostraram resultados positivos, por isso a importância de se continuar nesse caminho virtuoso”, disse Goldfajn, de acordo com informações divulgadas pela assessoria de imprensa do Banco Central.

Segundo Goldfajn, o BC continuará monitorando o impacto das informações políticas recentemente divulgadas e atuará, sempre que necessário, para manter a plena funcionalidade dos mercados. O mercado financeiro enfrentou ontem turbulências, no primeiro dia de funcionamento após divulgação de parte do conteúdo da delação dos empresários Joesley Batista e Wesley Batista, donos do grupo JBS.

Goldfajn acrescentou que o Banco Central tem atuado, em coordenação com o Ministério da Fazenda, para dar liquidez aos mercados, por meio de swaps cambiais (equivalentes à venda de dólares no mercado futuro) e dos leilões de recompra de títulos públicos. “O BC e o Tesouro Nacional têm vários instrumentos à disposição. Essa atuação firme e serena tem foco no bom funcionamento dos mercados”, acrescentou.

Segundo Goldfajn, não há “relação direta e mecânica com a política monetária [definição da taxa básica de juros, a Selic], que continuará focada nos seus objetivos tradicionais”. “Em outras palavras, as decisões sobre a taxa básica de juros serão tomadas pelo Copom [Comitê de Política Monetária], no curso de suas reuniões ordinárias, considerando o cenário básico, o balanço de riscos e o amplo conjunto de informações disponíveis”, disse.

 

Últimas Notícias

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro
Marcha da Consciência Negra pede democracia, direitos e fim do racismo
Bolsonaro diz que vai seguir normas legais para indicação à PGR
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
Conselho de Ética da Câmara arquiva representação contra Laerte Bessa
Reunião do Escola sem Partido é novamente suspensa em comissão mista
Eunício e equipe do futuro governo voltam a discutir cessão onerosa
Brasil encerra o ano com vitória sobre Camarões por 1 a 0

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212