Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Suécia encerra investigações sobre Julian Assange por agressão sexual - Jornal Brasil em Folhas
Suécia encerra investigações sobre Julian Assange por agressão sexual


A procuradoria da Suécia informou hoje (19) que as investigações sobre a acusação de agressão sexual contra Julian Assange, fundador do site WikiLeaks, foram encerradas. Mesmo assim ele deve continuar a viver na embaixada do Equador em Londres, onde está há quase cinco anos, porque se voltar a Suécia, a investigação pode ser reaberta – o crime de estupro só prescreverá em 2020.

Além disso, a polícia britânica tem uma mandato de prisão vigente contra ele. Portanto, se ele deixar a embaixada do Equador pode ser preso pela polícia inglesa e extraditado para a Suécia e depois aos Estados Unidos. Assange também é acusado pela Justiça norte-americana de vazar documentos militares e diplomáticos ultrasecretos.

Em uma entrevista à imprensa, a procuradora sueca Marianne Ny afirmou que não há como avançar nas investigações porque todas as possibilidades foram esgotadas.

Assange tem 45 anos e vive como refugiado na embaixada equatoriana desde 2012. A interrupção das investigações sobre o crime de estupro, foi considerada uma vitória absoluta para ele, pelo advogado que o representa, Per Samuelson. Mesmo assim, a defesa da mulher que acusa Assange informou à imprensa que a acusação será mantida e que é um absurdo que um estuprador não tenha que responder judicilamente pelo crime.

A mulher acusa Assange de tê-la estuprado em 2010. Ele nega o crime e alega que a denúncia faz parte de uma estratégia para que ele seja extraditado à Suécia e depois aos Estados Unidos.

WikiLeaks

O WikiLeaks tornou público documentos confidenciais de operações militares norte-americanas no Iraque e no Afeganistão, em 2010, além de correspondências diplomáticas. Os documentos e correspondências foram repassados ao site pela ex-agente norte-americana transgênero Chelsea Manning que ficou presa por sete anos pelos vazamentos.

Assange prometeu que aceitaria ser extraditado aos Estados Unidos, caso Chelsea Manning fosse libertada, o que ocorreu no começo da semana, graças a um indulto concedido por Barack Obama, dias antes de ele deixar o cargo em janeiro.

Manning enfrentava depressão e tentou suicídio na prisão em duas ocasiões. Após a assinatura do indulto por Barack Obama, os advogados de Assange disseram que ele não aceitaria de forma imediata a extradição, pois poderia ser preso.

A administração de Donald Trump não concordou com a libertação de Manning e já informou que a extradição de Assange é prioridade. O tema já foi discutido entre Estados Unidos e Grã-Bretanha.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro participa no Chile de Cúpula Presidencial Sul-Americana
Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212