Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Educação prepara trabalho que considera as diferenças de alunos das culturas quilombola e indígena - Jornal Brasil em Folhas
Educação prepara trabalho que considera as diferenças de alunos das culturas quilombola e indígena


Após um trabalho de diagnóstico, a Seduce, por meio da Superintendência do Ensino Fundamental, começou a esboçar uma proposta de educação que respeita as diferenças da cultura quilombola e indígena. Respeito às diferenças, esse é o lema de um trabalho iniciado pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) em 2016 que visa promover o ensino respeitando as especificidades de alunos indígenas e quilombolas.

A proposta direcionada às comunidades quilombolas, inclusive, é tema de uma formação para professores de escolas dos municípios de Teresina, Cavalcante e Monte Alegre, realizada nesta quinta e sexta-feira, dias 18 e 19, em Goiânia.

Mais de 70 professores se reúnem no Hotel Umuarama para participar de apresentações e oficinas com o tema Identidade, Contextualização e Teoria da Ação Docente do Currículo das Escolas Quilombolas. O grupo atende a alunos do 1º ao 9º anos do Ensino Fundamental, Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (EJA).

“A formação continuada tem o objetivo de construir a proposta de educação escolar quilombola, não só para as comunidades kalunga, mas para todas as escolas que têm o currículo que atende este público no estado de Goiás”, explica a coordenadora da Educação do Campo Escolar, Indígena e Quilombola da Seduce, Valéria Cavalcante da Silva.

Entre as diferenças a serem levadas em conta para a proposta de educação diferenciada, estão aspectos como salas multisseriadas e especificidades da cultura quilombola. Para tanto, a Secretaria vai trabalhar com calendário acadêmico diferenciado e Projeto Político Pedagógico próprio para cada escola e sua extensão.

A Seduce atende a 39 comunidades quilombolas em todo o Estado, tanto na zona rural quanto urbana.

Parceria

O trabalho desenvolvido pela Seduce conta com apoio da Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Estadual de Goiás (UEG), professores e pesquisadores. Professora de português da Comunidade II de Monte Alegre, Lourdes Fernandes de Souza, acredita que o encontro é uma oportunidade de melhorar seu trabalho como docente. “Cada unidade de ensino tem sua realidade, ações, modelo de escola e Projeto Político Pedagógico diferenciado. Isso respeita a realidade de cada aluno”, avalia a professora.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212