Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Agência Moodys rebaixa rating da JBS por “aumento de riscos” - Jornal Brasil em Folhas
Agência Moodys rebaixa rating da JBS por “aumento de riscos”


A agência de classificação de risco Moodys rebaixou e colocou em revisão os ratings da empresa JBS. O grupo brasileiro, maior companhia de carne bovina do mundo, é um dos protagonistas da crise política no país desde a semana passada, quando vieram à tona os detalhes de delação premiada feita por seus fundadores, os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Foram rebaixados em um nível, e colocados sob análise para novo rebaixamento, os ratings da JBS S.A e da sua subsidiária, a JBS USA. “A ação se segue à confirmação pela JBS S.A. de que sete executivos da companhia e sua controladora, a J&F investimentos, entraram em um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República devido a alegações de corrupção”, afirma a Moodys em comunicado.

Segundo a agência, o rebaixamento deve-se ao “aumento de riscos” relacionados à possibilidade de futuras ações judiciais e problemas de governança e liquidez da empresa. A Moodys diz ter “visibilidade limitada” quanto à possibilidade de concretização desses prognósticos.

A nota informa que a agência de classificação risco vai se concentrar na obtenção de mais detalhes sobre a delação e sobre investigações criminais em curso. “Se a liquidez se deteriorar em função desses desdobramentos, a Moodys pode adotar ações adicionais em relação ao ratings antes da conclusão desse processo de análise”, ressalta.

Investidores

Na tentativa de minimizar os danos da delação premiada à economia, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participou pela manhã de teleconferência com investidores organizada pelo banco JPMorgan . Está prevista outra reunião à distância com investidores esta tarde, organizada pela corretora de valores inglesa ICAP.

O Brasil, até o momento, não sofreu rebaixamento por agências de classificação de risco por causa da nova crise política. Na sexta-feira (19) a Fitch manteve a nota de crédito do país em moeda estrangeira, com perspectiva negativa. O país permanece dois degraus abaixo do grau de investimento.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212