Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Fernando Coelho Filho continua no Ministério de Minas e Energia - Jornal Brasil em Folhas
Fernando Coelho Filho continua no Ministério de Minas e Energia


Quarenta e oito horas após seu partido, o PSB, anunciar a saída da base aliada ao governo do presidente Michel Temer, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, despacha normalmente em seu gabinete, em Brasília.

O PSB pede que Coelho Filho deixe o cargo desde que as delações premiadas dos donos e executivos da JBS vieram a público, na última quinta-feira (18). Coelho Filho ainda não deixou claro se entregará o cargo ou se permanecerá no posto, contrariando a decisão do partido O ministro é filho do atual senador e ex-ministro da Integração Nacional do primeiro governo Dilma, Fernando Bezerra Coelho.

No sábado (20), Coelho Filho foi o único filiado ao PSB a comparecer a um almoço no Palácio da Alvorada, logo após o presidente Temer afirmar que não renunciaria ao cargo por causa das acusações do dono da JBS, Joesley Batista. No mesmo dia, o ministro pediu até 48 horas para dizer se fica ou não no cargo. Agora, encerrado o prazo, ele estaria aguardando o resultado de uma reunião das bancadas do partido na Câmara e no Senado, segundo fontes do partido.

Em nota divulgada hoje (22) nas redes sociais, o diretório nacional do PSB voltou a mencionar a hipótese de expulsar Coelho Filho, após a conclusão do processo disciplinar instaurado pelo Conselho de Ética, quando o ministro se afastou do cargo, e retornou a Câmara dos Deputados para votar a favor das reformas trabalhista e Previdenciária, contrariando decisão do partido.

“As deliberações da comissão executiva não podem ser, em hipótese alguma, disputadas ou relativizadas por qualquer dos integrantes do partido, dado o cenário em que ocorreram e a unanimidade de que foram objeto”, diz a nota. “A sanção, que eventualmente se venha a aplicar, terá por fundamento, não apenas a infringência de disposições partidárias, mas a insensibilidade política para com as urgências dos segmentos populares”, acrescentou o PSB.

No comunicado, o partido afirma que, enquanto instituição partidária, “nunca integrou o governo”. Na quinta-feira (18), o presidente, Carlos Siqueira, e outros líderes do partido sustentavam que o PSB jamais indicou ou chancelou o nome de Coelho Filho para ocupar o ministério. O PSB propõe que Temer renuncie à Presidência da República.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212