Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Chefe da inteligência americana guarda silêncio sobre suposta pressão de Trump - Jornal Brasil em Folhas
Chefe da inteligência americana guarda silêncio sobre suposta pressão de Trump


O diretor nacional da Inteligência americana, Dan Coats, recusou-se nesta terça-feira a fazer qualquer declaração sobre a suposta pressão exercida pelo presidente americano, Donald Trump, para obter ajuda para enterrar uma investigação sobre suas ligações com a Rússia.

Coats participou de uma audiência pública perante a Comissão das Forças Armadas do Senado, e quando perguntado sobre essas supostas pressões respondeu que não faria comentários.

De acordo com uma explosiva denúncia lançada na segunda-feira à noite pelo The Washington Post, Trump pressionou pessoalmente Coats e Mike Rogers, diretor da Agência de Segurança Nacional (NSA), para conter uma investigação conduzida pelo FBI.

Esta investigação se concentra na interferência que a Rússia teria tido nas eleições presidenciais do ano passado e a possível colaboração do comitê de campanha de Trump.

De acordo com o jornal, nem Coats nem Rogers responderam aos pedidos do presidente.

- Comentários não seriam apropriados -

Coats disse nesta terça-feira que preferia não fazer comentários sobre essa denúncia por conta da sua posição de principal assessor do presidente em assuntos de Inteligência.

Por ser seu principal assessor em temas de Inteligência, passo bastante tempo com o presidente discutindo assuntos de Segurança. Sempre acreditei que, dada a natureza da minha posição e as informações que compartilhamos, não seria apropriado que eu fizesse comentários sobre isso, disse.

Simultaneamente, ao falar diante da Comissão de Assuntos de Inteligência na Câmara de Representantes, o ex-diretor da CIA John Brennan afirmou que chegou a advertir funcionários russos para que não tentassem interferir nas eleições de 2016.

Deve ficar claro para todos que a Rússia interferiu em nosso processo eleitoral de 2016. E eles fizeram isso apesar de nosso enérgico protesto e [de nossa] advertência para que não fizessem, expressou Brennan.

Segundo o ex-diretor da CIA, o funcionário russo da Inteligência a quem fez a advertência negou qualquer interferência do país nas eleições, mas informou que comunicaria seus superiores sobre o protesto.

- Possíveis sinais -

Brennan disse que em 2016 a CIA detectou possíveis sinais de uma cumplicidade entre o comitê de campanha de Trump e os funcionários russos, contatos que o FBI começou a investigar.

O então diretor do FBI James Comey, demitido há duas semanas de maneira intempestiva por Trump, sustentou que os serviços se interessaram pela ingerência russa nas eleições e investigaram fatos que se remontam a junho de 2016.

Na semana passada, vários meios de comunicação americanos assinalaram que Trump pediu a Comey, durante reuniões e por telefone, que abandonasse a investigação, afirmações que foram desmentidas de forma contundente pela Casa Branca.

Mas essas solicitações teriam sido determinadas por Comey em relatórios escritos sobre as reuniões que manteve com o presidente.

Desde fevereiro, o magnata republicano solicitou a inúmeros legisladores e funcionários da Inteligência que contactassem jornalistas para dizer que não existem provas sobre os vínculos entre a Rússia e sua campanha eleitoral.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212