Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Petros tem melhor rentabilidade em 4 anos, mas déficit cresce - Jornal Brasil em Folhas
Petros tem melhor rentabilidade em 4 anos, mas déficit cresce


O fundo de pensões da Petrobras, o Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), teve rentabilidade 11,53% em 2016, a melhor dos últimos quatro anos. Entretanto, registrou resultado negativo de R$ 4,180 bilhões, acumulando déficit de R$ 26,787 bilhões.

O Conselho Deliberativo da Petros aprovou, na sexta-feira passada (26), as demonstrações contábeis do plano referentes a 2016. De acordo com a Petros, o resultado do ano passado ocorreu porque, em função do forte aumento do valor dos compromissos futuros, o passivo do plano tornou-se muito superior aos ativos.

“Dado que esse passivo é corrigido mensalmente pela meta atuarial, para que houvesse redução do déficit acumulado, seria necessária uma rentabilidade dos investimentos muito maior que essa meta. A rentabilidade foi levemente inferior à meta atuarial de 12,35% e trouxe retorno líquido de R$ 7,468 bilhões nos investimentos.

Em 2016, essa rentabilidade teria que ser superior a 19% para que o déficit não fosse ampliado. Porém, a composição da carteira de investimentos do plano e a baixa flexibilidade impossibilitaram uma performance dessa ordem”, informou, em nota, a assessoria do fundo.

A atualização dos compromissos futuros e o fluxo previdenciário negativo, que contempla mais pagamento de benefícios do que recebimento de contribuições, causaram impacto de R$ 8,669 bilhões no passivo do PPSP. Somou-se a isso o acréscimo das contingências para ações judiciais somando R$ 906 milhões.

Considerando o resultado líquido positivo de R$ 5,395 bilhões nos investimentos, o déficit do plano no exercício foi de R$ 4,180 bilhões. Em relação aos investimentos, o resultado positivo foi impulsionado pelos títulos públicos, após estratégia de aumentar as aplicações com menor grau de risco e maior liquidez.

Os papéis do governo proporcionaram retorno de 30,58% (R$ 4,899 bilhões), correspondendo a 90% do resultado líquido dos investimentos em 2016. Os fundos de renda fixa, que valorizaram 13,91% (R$ 2,077 bilhões), e os fundos de investimento em ações, com alta de 25,44% (R$ 558 milhões), também contribuíram para o saldo positivo, informou a Petros.

Plano de equacionamento

A diretoria da Petros pediu à Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com o objetivo de obter mais prazo para buscar alternativas que pudessem aliviar o impacto do equacionamento nos rendimentos de participantes ativos e assistidos.

O prazo para a apresentação do plano de equacionamento era dezembro de 2016. O TAC já foi aprovado pela Previc e o início da cobrança do equacionamento ocorrerá no segundo semestre.

O TAC deve ser assinado pelo Conselho Deliberativo da Petros e publicado no Diário Oficial. A partir desta formalização, os prazos de implementação do equacionamento começam a ser contados.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212