Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Londrinos vão às ruas contra preço alto dos aluguéis - Jornal Brasil em Folhas
Londrinos vão às ruas contra preço alto dos aluguéis


Irritada com os valores exorbitantes dos aluguéis, que têm levado os londrinos a buscar imóveis cada vez menores e mais afastados da capital, a população começou a se mobilizar para pressionar o governo a buscar uma solução.

Com cerca de 8,6 milhões de habitantes, Londres recebe todo ano pelo menos 100.000 novos moradores.

A situação está ficando insustentável, reclamou o professor aposentado John Ford, de 60, que se juntou a outras 2.000 pessoas para protestar contra um projeto de lei que pretende modificar a distribuição de moradias sociais e os direitos de seus inquilinos.

Meu sobrinho é um jovem cirurgião e não pode comprar uma casa em Londres. Isso mostra até que ponto a crise afeta a classe média, comentou.

Em dezembro de 2015, o preço médio de uma casa na capital britânica era de 514.097 libras, ou 678.500 euros, 12% a mais do que no mesmo período do ano anterior. No mesmo intervalo, uma casa no restante da Inglaterra e em Gales custava 188.270 libras, ou 240.000 euros em média, com um aumento anual de 6,4%.

Um grupo de 150 estudantes da University College de Londres entrou em greve e parou de pagar as 262 libras por semana (cerca de 335 euros) de seus quartos. No protesto em frente à residência do primeiro-ministro conservador David Cameron, os estudantes carregavam uma escada que tinha apenas os últimos degraus, uma maneira de dizer que apenas os mais ricos podem pagar por uma casa.

A imprensa britânica denuncia regularmente os anúncios de aluguel de closets transformados em quartos, ou de imóveis minúsculos onde a cama fica em um canto da sala.

A questão da moradia, junto com a dos transportes, será um dos temas-chave das eleições municipais de 5 de maio, em Londres.

No final de janeiro, os candidatos para suceder ao conservador Boris Johnson apresentaram várias propostas em um debate na prestigiosa London School of Economics (LSE).

Eu me comprometo a fazer que as novas moradias construídas em terrenos públicos controlados pela prefeitura sejam destinadas aos londrinos, declarou o candidato conservador Zac Goldsmith.

Seu adversário trabalhista, Sadiq Khan, pediu mais casas acessíveis e denunciou o escândalo dos corretores imobiliários que vendem imóveis de Londres para investidores do Oriente Médio e da Ásia.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212