Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Londrinos vão às ruas contra preço alto dos aluguéis - Jornal Brasil em Folhas
Londrinos vão às ruas contra preço alto dos aluguéis


Irritada com os valores exorbitantes dos aluguéis, que têm levado os londrinos a buscar imóveis cada vez menores e mais afastados da capital, a população começou a se mobilizar para pressionar o governo a buscar uma solução.

Com cerca de 8,6 milhões de habitantes, Londres recebe todo ano pelo menos 100.000 novos moradores.

A situação está ficando insustentável, reclamou o professor aposentado John Ford, de 60, que se juntou a outras 2.000 pessoas para protestar contra um projeto de lei que pretende modificar a distribuição de moradias sociais e os direitos de seus inquilinos.

Meu sobrinho é um jovem cirurgião e não pode comprar uma casa em Londres. Isso mostra até que ponto a crise afeta a classe média, comentou.

Em dezembro de 2015, o preço médio de uma casa na capital britânica era de 514.097 libras, ou 678.500 euros, 12% a mais do que no mesmo período do ano anterior. No mesmo intervalo, uma casa no restante da Inglaterra e em Gales custava 188.270 libras, ou 240.000 euros em média, com um aumento anual de 6,4%.

Um grupo de 150 estudantes da University College de Londres entrou em greve e parou de pagar as 262 libras por semana (cerca de 335 euros) de seus quartos. No protesto em frente à residência do primeiro-ministro conservador David Cameron, os estudantes carregavam uma escada que tinha apenas os últimos degraus, uma maneira de dizer que apenas os mais ricos podem pagar por uma casa.

A imprensa britânica denuncia regularmente os anúncios de aluguel de closets transformados em quartos, ou de imóveis minúsculos onde a cama fica em um canto da sala.

A questão da moradia, junto com a dos transportes, será um dos temas-chave das eleições municipais de 5 de maio, em Londres.

No final de janeiro, os candidatos para suceder ao conservador Boris Johnson apresentaram várias propostas em um debate na prestigiosa London School of Economics (LSE).

Eu me comprometo a fazer que as novas moradias construídas em terrenos públicos controlados pela prefeitura sejam destinadas aos londrinos, declarou o candidato conservador Zac Goldsmith.

Seu adversário trabalhista, Sadiq Khan, pediu mais casas acessíveis e denunciou o escândalo dos corretores imobiliários que vendem imóveis de Londres para investidores do Oriente Médio e da Ásia.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212