Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 PIB do Japão se contrai em novo revés para o governo - Jornal Brasil em Folhas
PIB do Japão se contrai em novo revés para o governo


A economia do Japão se contraiu no quarto trimestre de 2015, segundo dados oficiais, o que representa um novo golpe para a política de incentivos ao crescimento do primeiro-ministro Shinzo Abe, conhecida por Abenomics.

O retrocesso intensificará a polêmica sobre as medidas do Banco do Japão (BoJ, banco central), que, no final de janeiro, fixou taxas de juros negativas como uma tentativa desesperada de dinamizar a terceira economia mundial.

A falta de demanda nos principais setores, como a venda de carros ou de aparelhos eletrodomésticos, explicam a contração de 0,4% no período outubro-dezembro.

Desde o aumento do IVA, em abril de 2014, o Japão alterna trimestres de crescimento modesto com períodos de contração.

De fato, foi o segundo exercício em retrocesso de 2015, apesar de o ano fechar com um modesto crescimento de 0,4%.

O governo minimizou o dado, ainda provisório, do quarto trimestre, assegurando que os fundamentos da economia continuam bons.

Mas, para os analistas, trata-se de um revés da política econômica de Abe.

A estratégia do premiê já vinha sendo atingida desde o início do ano pela força do iene, que afeta o setor exportador, e pela queda dos mercados financeiros.

Os últimos dados mostram a dificuldade de afirmar que o governo de Abe conseguiu construir um círculo virtuoso de alta das rendas, dos salários e dos investimentos, afirmou Tobias Harris, analista de riscos da consultora americana Teneo.

O crescimento do Japão continua dependendo muito das exportações, que se viram afetadas pela desaceleração da China e seus impactos sobre a economia global, acrescentou.

O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio pareceu ignorar esses dados e teve uma alta espetacular de mais de 7% nesta segunda, atribuída pelos analistas a compras a preço em conta depois da hecatombe da semana passada, quando os valores perderam mais de 11%.

E mesmo com a disparada desta segunda, o Nikkei registrou um retrocesso de 16% no correr do ano.

- Dilemas e rumores -

O iene, que na semana passada se fortaleceu 4% em relação ao dólar, voltou a enfraquecer nesta segunda por rumores de que o BoJ prepara novas medidas de flexibilização, o que colocaria dinheiro fresco nos mercados, e de que as autoridades estavam intervindo os mercados para tentar frear a valorização da moeda japonesa.

Abe realizou na sexta uma reunião de emergência com o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, ante a extrema volatilidade dos mercados mundiais e o fortalecimento do iene.

O BoJ surpreendeu no final de janeiro adotando taxas de juros negativas, uma medida que pretende incentivar os bancos a investir na economia real, invés de reter o dinheiro em depósitos inativos.

Mas com o crescimento fraco e o BoJ em luta para que a inflação se aproxime de sua ambiciosa meta de 2% anual, Abe deve decidir se volta a aumentar o IVA.

O governo esperará o resultado das negociações salariais da primavera (hemisfério norte) para saber se as companhias estão dispostas a pagar mais a seus funcionários, o que daria esperanças de um aumento do consumo.

No último trimestre de 2015, o consumo dos lares diminuiu 0,5% em relação ao trimestre anterior.

Os investimentos não residenciais das empresas, por sua vez, progrediram levemente (+0,2%).

O comércio externo contribuiu, no entanto, positivamente para a evolução do PIB (+0,1), apesar de um retrocesso das exportações (-0,2%).

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212