Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Estudo descarta benefícios de retirada dos gânglios no câncer de pele - Jornal Brasil em Folhas
Estudo descarta benefícios de retirada dos gânglios no câncer de pele


Retirar os gânglios de áreas próximas de um tumor em pacientes com melanoma, um agressivo câncer de pele, não prolonga a sua vida, segundo um estudo clínico publicado nesta quarta-feira na revista médica americana New England Journal of Medicine.

Atualmente, depois que se faz um diagnóstico de melanoma, os gânglios ao redor do tumor são geralmente extirpados e submetidos a uma biópsia para saber se o câncer começou a se espalhar.

O estudo difundido nesta quarta-feira, realizado com mais de 1.900 pacientes afetados por um melanoma, é o mais vasto feito até o momento sobre este procedimento e seu impacto sobre as chances de sobrevivência, em comparação com pacientes que não foram submetidos à intervenção.

Os resultados deste estudo chegarão a uma clara diminuição do número de intervenções no mundo para retirar gânglios próximos ao tumor, prevê Mark Faries, codiretor do programa sobre melanoma e cirurgia do câncer associado ao Instituto de Pesquisas do Centro Médico Cedars-Sinai em Los Angeles.

Também terão influência sobre o grande número de testes clínicos sobre o melanoma, assim como sobre as terapias contra este [tipo de] câncer, destacou.

Os pacientes poderão evitar importantes efeitos colaterais derivados desta intervenção cirúrgica e ficarão mais claras as coisas para o desenvolvimento de novos tratamentos, avaliou Omid Hamid, diretor de pesquisas em imuno-oncologia e codiretor do programa de cânceres cutâneos no Cedars Sinai.

Faries destaca, no entanto, que a ablação dos gânglios pode ter vantagens clínicas, ao permitir que os médicos façam uma biópsia para avaliar melhor a extensão do tumor e determinar o tempo durante o qual o câncer para de se propagar.

Cerca de 25% dos pacientes que tiveram os gânglios extirpados sofrem de linfadenite, inflamação de parte mais ou menos importante do corpo, devido ao acúmulo de líquido linfático nos tecidos conjuntivos, enquanto a proporção é de apenas 6% no grupo de doentes que não sofreram esta operação, diz o estudo.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212