Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mais de 20 elefantes morreram em Mianmar em 2017 (WWF) - Jornal Brasil em Folhas
Mais de 20 elefantes morreram em Mianmar em 2017 (WWF)


Mais de 20 elefantes foram mortos em Mianmar em 2017, um recorde para uma espécie ameaçada pela caça clandestina e pelos traficantes, que vendem seus órgãos e suas presas à China, advertiu nesta segunda-feira a ONG Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Se essa tendência continuar, a população de elefantes terá desaparecido em um ou dois anos nesta área, avisou Rohit Singh, do WWF.

Toda a pressão adicional sobre os filhotes e as fêmeas no período de lactância terá um impacto importante, acrescentou. Até o momento, os machos estão sendo mais caçados por suas presas.

De acordo com o WWF, a população de elefantes selvagens de Mianmar é de entre 1.400 e 2.000 animais, o que coloca o país como a segunda maior reserva do sudeste asiático, atrás somente da Tailândia.

O tráfico de animais selvagens está estimado em um montante de quase 20 bilhões de euros anuais em todo o mundo.

Em Mianmar, as presas são destinadas principalmente à China, mas também para o mercado local.

O número de elefantes selvagens caiu para a metade em menos de uma década em Mianmar. Segundo dados do governo, muito mais otimista do que o WWF, ainda restariam entre 2.000 e 3.000 animais.

As principais razões da diminuição da população de elefantes são a destruição de seu habitat natural e a utilização do marfim, da pele e de algumas partes de seu corpo para a preparação de diversos unguentos da medicina tradicional.

A maior parte do comércio ilegal provém deste país, controlado por redes criminosas, orquestradas e financiadas por poderosos traficantes chineses, segundo os especialistas, que lamentam o desleixo das autoridades.

Caçar um animal em risco de extinção é ilegal em Mianmar, país que assinou a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Silvestres (Cites, em inglês), mas a multa máxima é inferior a 60 dólares e as punições são pouco frequentes.

Inúmeros elefantes, uma das 10 espécies em risco de extinção em Mianmar, são mortos ou caçados para o contrabando à Tailândia, onde são utilizados para o turismo.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212