Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Reformas mostram resultados positivos, diz presidente do Banco Central - Jornal Brasil em Folhas
Reformas mostram resultados positivos, diz presidente do Banco Central


O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse hoje (19) que a incerteza aumentou nas últimas semanas, mas as reformas podem continuar avançando. “A política econômica doméstica mudou de direção há um ano e as reformas implementadas neste curto período mostraram resultados positivos, por isso a importância de se continuar no caminho correto”.

Ele foi o convidado do encontro com investidores institucionais do Bradesco, em São Paulo, e comentou o atual cenário internacional e doméstico, contextualizando com os desafios da política monetária atual.

Para Goldfajn, o cenário externo tem se mostrado favorável. “A atividade econômica global mais forte tem mitigado os efeitos de possíveis mudanças de políticas econômica nos países centrais”. Afirmou que as políticas econômicas dos Estados Unidos e da China ainda geram dúvidas. “Persistem as incertezas quanto à implementação e a possíveis repercussões externas da política econômica do novo governo dos Estados Unidos na área do comércio internacional, de estímulos fiscais e desregulamentação financeira”, disse.

Preços das commodities preocupam

Quanto à China, o que preocupa o presidente do BC é a evolução dos preços das commodities (mercadorias), “e o apetite ao risco por ativos de economias emergentes”. Goldfajn destacou que o Brasil está menos vulnerável a choques externos. “A economia brasileira apresenta hoje uma maior capacidade de absorver eventual revés, por conta da situação mais robusta de seu balanço de pagamentos e ao progresso no processo desinflacionário e na ancoragem das expectativas”, explicou.

Quanto à redução de inflação, ele avaliou que o comportamento da inflação permanece favorável. “Houve consolidação da desinflação nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária. A desinflação dos preços de alimentos constitui choque de oferta favorável”. A inflação acumulada em 12 meses caiu de 10,7% em dezembro de 2015 para 3,6% em maio deste ano.

Em relação ao cenário econômico doméstico, o presidente do Banco Central destacou que os vários ajustes e reformas aumentaram a confiança e reduziram a percepção de risco. “A continuidade nessa direção, em especialmente com a aprovação da reforma da Previdência e de outras reformas que visam aumentar a produtividade, será importante para a sustentabilidade da inflação e da queda da taxa de juros”, finalizou.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212