Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Seul e Washington fazem exercício naval após lançamento de míssil norte-coreano - Jornal Brasil em Folhas
Seul e Washington fazem exercício naval após lançamento de míssil norte-coreano


Os exércitos da Coreia do Sul e Estados Unidos encerram hoje manobras navais contra ataques submarinos como resposta ao recente lançamento espacial da Coreia do Norte, considerado um ensaio de mísseis.

Os exercícios – que ocorrem em águas sul-coreanas desde sábado – visam reforçar a preparação dos aliados em face de um hipotético ataque com submarinos pelo regime de Kim Jong-un, segundo informou a Força Naval sul-coreana em comunicado.

As forças de Seul e Washington simularam uma perseguição submarina e treinaram o combate real, em manobras que “aumentaram a capacidade para detectar, distinguir, rastrear e atacar submarinos do inimigo”, diz a mesma nota.

As manobras contam com o submarino de propulsão nuclear norte-americano de 7.800 toneladas – o USS North Carolina – e o submarino Kim Jwa-jin, de 1.800 toneladas, da Coreia do Sul.

Após concluírem hoje estas manobras, as forças navais de ambos os países vão realizar, na quarta-feira, um outro exercício conjunto focado na detecção de submarinos, em que vão participar aviões de vigilância.

Os exercícios navais dos aliados são uma resposta ao recente lançamento de um satélite a bordo de um foguete espacial por parte da Coreia do Norte, condenado pela comunidade internacional que o considera um ensaio encoberto de mísseis que viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Estados Unidos e Coreia do Sul pediram ao Conselho de Segurança da ONU a imposição de duras sanções à Coreia do Norte.

Washington tenciona enviar, em março, para a Coreia do Sul o porta-aviões de propulsão nuclear USS John C. Stennis, segundo fontes de Seul.

Os Estados Unidos mantêm 28.500 militares na Coreia do Sul e se comprometem a defender o seu aliado de um eventual ataque por parte do Norte como legado da Guerra da Coreia (1950-53).

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212