Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 UE impõe ao Google multa recorde de 2,424 bilhões de euros - Jornal Brasil em Folhas
UE impõe ao Google multa recorde de 2,424 bilhões de euros


A Comissão Europeia anunciou nesta terça-feira (27) uma multa recorde de 2,42 bilhões de euros ao Google por favorecer o comparador de preços da empresa em seu sistema de buscas on-line - uma decisão que pode aumentar a tensão com o presidente americano, Donald Trump.

O que o Google tem feito é ilegal, no que diz respeito às leis de concorrência da UE. Tem impedido outras empresas de competir com base em seus méritos e que inovem, disse a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, para quem a situação também prejudicou os consumidores.

Para o Executivo comunitário, responsável por proteger a concorrência no bloco, a gigante americana do setor digital utilizou sua posição dominante para favorecer, em sua ferramenta de buscas, o comparador de preços Google Shopping ante a concorrência.

Calculada com base no valor da arrecadação da empresa nos 13 países europeus nos quais oferece o serviço Google Shopping, a multa por abuso de posição dominante supera com folga o recorde anterior, de 2009, quando Bruxelas multou a fabricante americana de microprocessadores Intel em 1,06 bilhão de euros.

Além da multa, a Comissão Europeia também pediu ao Google que encerre essa prática em um prazo de 90 dias, sob a ameaça de novas multas de até 5% do faturamento médio diário em nível mundial da Alphabet, a matriz do Google.

O Google reagiu: Nós discordamos respeitosamente das conclusões anunciadas hoje. Vamos estudar a decisão da Comissão detalhadamente e consideramos uma apelação, afirma a empresa em um comunicado.

- O destino nas mãos do Google

Com isso, o Executivo comunitário encerra sete anos de um processo iniciado em 2010, quando Microsoft e TripAdvisor denunciaram a rival a Bruxelas. Tudo indica que, agora, a questão passará à Justiça europeia.

Em abril de 2015, a Comissão enviou à empresa um comunicado de objeções, o equivalente a uma acusação. Esse comunicado foi reforçado em julho de 2016.

De acordo com a empresa, o Google Shopping é, sobretudo, um serviço publicitário. O grupo alega que os consumidores que desejam comprar usam muito mais a Amazon. Segundo o Google, a gigante americana do comércio eletrônico no varejo representa metade do mercado de buscas para compras na Europa.

Esta decisão é um ponto de inflexão, comemorou a diretora-geral do Escritório Europeu da União de Consumidores, Monique Goyens.

Em nota, os demandantes reunidos na organização Fairsearch destacaram que o domínio do Google no mercado deu à empresa o poder de decidir o destino de todos os fornecedores de serviços on-line, ou seja, de quase todas as empresas.

- Tratamento diferente para empresas americanas?

A decisão da UE pode criar um precedente para outros serviços do Google, como o Google Images, ou o Google News, que são alvo de demandas similares à do Google Shopping.

Além disso, pode aumentar ainda mais a tensão nas relações entre Bruxelas e Washington, em crise desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca. Tudo isso pouco antes da próxima reunião do G20 que acontece em Hamburgo, na Alemanha, nos dias 7 e 8 de julho.

Há menos de um ano, a Comissão Europeia considerou que outra gigante americana, a Apple, beneficiou-se de vantagens fiscais indevidas na Irlanda e ordenou a devolução de 13 bilhões de euros a Dublin.

O ex-presidente Barack Obama já havia criticado a atitude de Bruxelas, mas a comissária europeia Margrethe Vestager sempre afirmou que não leva em consideração a nacionalidade das empresas punidas.

Olhei as estatísticas (...) E não vejo nenhum fato que apoie a hipótese de um eventual tratamento diferenciado, disse Vestager.

A UE tem outros dois casos abertos contra o Google por abuso de concorrência: um, sobre a plataforma publicitária AdSense, e outro, pelo sistema operacional Android. De acordo com a comissária, as conclusões preliminares apontam uma violação das regras europeias.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212