Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Coronel venezuelano denunciado após violenta incursão no Parlamento - Jornal Brasil em Folhas
Coronel venezuelano denunciado após violenta incursão no Parlamento


A Procuradoria venezuelana denunciou o chefe militar responsável pela segurança do Parlamento por suposta violação dos direitos humanos depois que partidários de Nicolás Maduro feriram sete deputados opositores na sede do Legislativo, informou o Ministério Público nesta segunda-feira.

O coronel Bladimir Lugo, acusado pela oposição de cumplicidade por não ter agido para evitar a invasão, foi convocado para quinta-feira, anunciou a Procuradoria no Twitter, sem especificar a origem da acusação.

Em 5 de julho, cerca de 100 chavistas entraram no Palácio Legislativo e agrediram os parlamentares, enquanto detonavam bombas de efeito moral.

Após o ataque, dezenas de chavistas mantiveram o Parlamento cercado, impedindo a saída de deputados, jornalistas e funcionários por quase nove horas.

Em 28 de junho, Lugo protagonizou outro incidente ao retirar a empurrões de um gabinete da Assembleia Nacional o seu presidente, o opositor Julio Borges, após uma discussão que começou quando militar levavam caixas para o interior do edifício.

Maduro o condecorou no dia seguinte.

Lugo é o terceiro militar que o Ministério Público denuncia por supostas violações aos direitos humanos desde que a procuradora-geral, Luisa Ortega, rompeu com Maduro.

No final de junho, foram denunciados os generais Antonio Benavides Torres, ex-comandante da Guarda Nacional, e Gustavo González López, diretor do serviço de Inteligência.

Mas o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) - acusado de estar alinhado a Maduro - não aceitou as denúncias.

O TSJ também considerou Ortega em desacato e acolheu um recurso de Benavides.

Após a denúncia, Maduro condecorou Benavides e promoveu González.

Benavides foi retirado do comando da Guarda Nacional por Maduro em 20 de junho, um dia após a morte de um jovem de 17 anos baleado à queima-roupa por um militar em torno da base aérea de La Carlota, em Caracas.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212