Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conversa com Roseann Kennedy entrevista músico Hamilton de Holanda - Jornal Brasil em Folhas
Conversa com Roseann Kennedy entrevista músico Hamilton de Holanda


O músico Hamilton de Holanda, um dos mais respeitados no exterior, é o entrevistado de hoje (10) do programa Conversa com Roseann Kennedy, às 21h30, na TV Brasil.

Hamilton conta que aprendeu a tocar antes de ser alfabetizado. Ele alcançou projeção tocando um bandolim diferente, criado por ele, que ao em vez de oito, tem dez cordas. Tudo isso para expandir os horizontes musicais e dar uma voz protagonista ao choro, que ele considera sua língua materna.

“Quando eu comecei a tocar eu era muito pequeno. Eu nem lia, nem escrevia ainda e já comecei a tocar bandolim. Foi uma coisa que me pegou sem explicação”. Para Hamilton, o ambiente familiar exerceu forte influência em sua formação. “Meu pai é músico, meu irmão também, então a gente teve um ambiente musical muito agradável em casa. Ganhei o meu primeiro violãozinho quando eu tinha 5 anos de idade”.

Mesmo num ambiente favorável dentro de casa, Hamilton conta que também enfrentou dificuldades quando o assunto foi a escolha da música como carreira. “Em casa, a minha mãe tinha medo, não queria que eu fosse músico. Por causa da instabilidade da profissão, que existe. Mas qualquer outra profissão, tem isso também. Depois eu fui crescendo e vi que na verdade se você se dedica, você estuda, você tem boas conexões, você pode se dar bem em qualquer profissão.”

Hoje ele se orgulha da carreira e diz que conseguiu passar para os filhos a paixão, a emoção e o bem que a música pode fazer na vida das pessoas.

Admirador das obras de grandes compositores como Pixinguinha, Baden Powell, Hermeto Pascoal, Raphael Rabello e Chico Buarque, Hamilton acredita que a miscelânea cultural é o que melhor define a riqueza da música brasileira. “A nossa natureza é a mistura”. E é enfático ao definir o papel que as melodias e composições tem em sua vida: “Pra mim, a música é praticamente uma religião. É como eu me comunico com as pessoas, é como eu agradeço, como eu faço as minhas orações. A música é trabalho, a música é educação. A música não é só o trabalho em si ela é tudo isso. E eu tento viver isso na plenitude”.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212