Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vendas de cotas de consórcio crescem 7,8% de janeiro a maio, aponta Abac - Jornal Brasil em Folhas
Vendas de cotas de consórcio crescem 7,8% de janeiro a maio, aponta Abac


As vendas de novas cotas de consórcios cresceram 7,8% nos primeiros cinco meses deste ano, na comparação com igual período de 2016, aponta levantamento da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), divulgado hoje (10). Foram vendidas 912,5 mil unidades de janeiro a maio de 2017, enquanto no ano passado foram 846,3 mil. O volume de negócios atingiu R$ 36,3 bilhões, que representa um acréscimo de 24,7% em relação aos R$ 29,1 bilhões negociados no ano anterior.

Apesar dos saldos positivos nesses indicadores, o total de consorciados ativos voltou a apresentar retração, passando de 7,06 milhões de participantes para 6,93 milhões. O número de contemplações também teve revés, caindo 12% nos cinco primeiros meses do ano. Foram 503 mil nesse período ante 571,8 mil do último ano. Houve queda (6,5%) ainda no valor total dos créditos concedidos: de R$ 17,1 bilhões para R$ 16 bilhões.

Setores

O comportamento das vendas se manteve no mês de maio. Houve crescimento em quatro dos cinco setores avaliados no levantamento da Abac. O destaque foi o setor de serviços, com acréscimo de 113,6%. Na sequência, estão os consórcios relacionados a eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis (28,4%); veículos leves (19%); imóveis (12,7%) e veículos pesados (11,5%). Apenas o setor de motocicletas apresentou retração, caindo 6,1%.

O tíquete médio – valor intermediário da cota de um consórcio – ficou em R$ 40,7 mil em maio, um acréscimo de 10,6% em relação ao quinto mês de 2016.

O presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi, está otimista em relação à economia. “Mês após mês, desde janeiro, os diversos indicadores econômicos têm apontado para reversão de tendência, fatos que nos permitem crer na ampliação das vendas de novas cotas de consórcios para pessoas físicas e jurídicas”, disse em nota.

O dirigente avalia ainda que esta modalidade tem apresentado bons resultados, apesar da alta do desemprego, por requerer mais consciência financeira. “Por ser importante fator nesse contexto, o consórcio contribui na gestão das finanças pessoais e na consequente formação da cidadania financeira do consumidor”, apontou Rossi.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida
Bolsonaro reitera que decisão sobre médicos cubanos é humanitária

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212