Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 FMI eleva previsão de crescimento do Brasil, mas alerta para crise política - Jornal Brasil em Folhas
FMI eleva previsão de crescimento do Brasil, mas alerta para crise política


O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou nesta quinta-feira (13) de 0,2% para 0,3% a previsão de crescimento do PIB do Brasil para 2017, mas destacou que a crise política lança uma sombra sobre essa expectativa.

O crescimento projetado é de 0,3% em 2017 e 1,3% em 2018, afirmou o FMI em uma revisão de seu relatório anual sobre a economia brasileira. Em abril, o órgão tinha estimado o crescimento econômico de 0,2% neste ano.

Para 2018, a projeção baixou em relação ao relatório de abril, que estimava uma expansão de 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB). O órgão espera que a economia avance cerca de 2% em 2019 e nos anos seguintes.

A profunda recessão brasileira parece estar perto do fim, disse o relatório, reconhecendo a agenda ambiciosa de reformas do presidente Michel Temer. Na visão do órgão, a instabilidade política e o desdobramentos das investigações de corrupção são grandes fontes de risco que podem ameaçar a agenda de reformas e a recuperação da economia.

O FMI alertou que a habilidade do governo de entregar uma reforma da previdência, um passo necessário para garantir sustentabilidade fical, está menos garantida - e, com eleições nacionais agendadas para 2018, a janela para ações legislativas está fechando.

O órgão preparou o relatório antes da aprovação, no Senado, da controversa reforma trabalhista, que permite que funcionários negociem salários diretamente com os patrões, elimina a contribuição sindical obrigatória e dá mais flexibilidade às empresas quanto à jornada de trabalho e às férias dos funcionários.

De acordo com pesquisas, cerca de 58% dos brasileiros rechaçam as reformas. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, espera que elas ajudem a gerar empregos.

O Brasil enfrentou um retrocesso de 3,8% do seu PIB em 2015 e, em 2016, a queda foi de 3,6%, numa sequência de dois anos de recessão que caracterizou os piores resultados da série histórica iniciada em 1948.

Em meados de maio, o economista chefe do FMI para América Latina, Alejandro Werner, tinha apontado que o momento ainda era prematuro para avaliar o impacto da crise política.

Na última assembleia semestral do Banco Mundial e do FMI, realizada em abril em Washington, a diretora-gerente da entidade, Christine Lagarde, tinha expressado sua confiança de que a economia brasileira já ensaiava uma recuperação.

Graças a medidas que foram anunciadas, e algumas delas já aplicadas, parece que a economia do Brasil deu a volta e vai melhorar em 2017 e em 2018, disse Lagarde na capital americana.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212