Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Deputado diz que aumento da cota parlamentar não é nova despesa na Câmara - Jornal Brasil em Folhas
Deputado diz que aumento da cota parlamentar não é nova despesa na Câmara


O primeiro vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP) disse hoje (19) à Agência Brasil que o aumento mensal de R$ 298 na cota parlamentar – verba reservada para que deputados usem em gastos como alimentação, combustível e passagens aéreas – não significa novas despesas para a Casa. O dinheiro, segundo ele, é resultado do cancelamento do contrato de distribuição de jornais e revistas, que vence no próximo dia 29.
Brasília - O deputado Beto Mansur, que exerce a função de primeiro-secretário, fala sobre o pedido de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (José Cruz/Agência Brasil)

“Ao invés de fazer nova licitação decidimos liberar o dinheiro para que os deputados possam fazer suas assinaturas e ter os jornais que interessar. O dinheiro estará liberado, mas não necessariamente será usado”, afirmou.

Cálculos apresentados aos integrantes da Mesa, que tomaram a decisão na última reunião em 3 de fevereiro, apontam que uma nova licitação para aquisição das mídias custaria R$ 1,9 milhão por ano. “Estou no quinto mandato e venho percebendo há anos que existe um consumo desnecessário de papel. Hoje, temos o advento do eletrônico. Muitas vezes, inclusive, o parlamentar está no estado e quer ler o jornal e não pode porque o jornal está no gabinete em Brasília”, explicou.

Mansur foi responsável pelo levantamento que apontou uma tendência de que 60% dos deputados passem a acessar as notícias por meio eletrônico, pela internet, e 40% devem manter o hábito do papel. Isto, segundo ele, vai acabar representando economia para a Câmara. “Respeito quem gosta, mas eu que só leio eletronicamente. Gasto R$ 70 por mês para acessar jornais e revistas”, afirmou.

Além desta medida, os parlamentares terão ainda mais R$ 73,86 na conta para comprar material de expediente, como resmas de papel, copos descartáveis, etiquetas auto-adesivas, disco para gravação de dados e pastas. Mansur explicou que esse dinheiro está saindo das despesas que a Câmara tinha com o almoxarifado, desativado no último dia 4. “A Casa continuará fornecendo os materiais de expediente com o Brasão da República, tais como papel de carta, envelopes para cartas, envelopes ofício e envelopes separata branco e capas para avulso”, completou.

Novos cargos

Enquanto Mansur defende a economia nas despesas da Câmara, a Mesa Diretora se prepara para mais gastos com a criação de novos cargos, que são obrigatórios para atender aos partidos PMB (Partido da Mulher Brasileira) e Rede, que foram criados no ano passado.

Um projeto de resolução prevê 70 vagas para o PMB e outras 25 para a Rede. “A gente não aguenta. Vai custar bastante dinheiro. Pela lei, tem que existir cargos para que esses partidos tenham estrutura para trabalhar, mas eu defendo a redistribuição dos cargos existentes”, afirmou.

Os funcionários que ocupam estas vagas para assessoramento das bancadas recebem salários entre R$ 3 mil e R$ 16 mil. Considerando uma média de R$ 8 mil a partir desta faixa de valores, os cargos que serão criados representarão um custo de R$ 10 milhões por ano.

Alguns líderes partidários têm defendido uma mudança na exigência definida pelo Supremo Tribunal Federal para garantir o funcionamento das legendas. “Se você perde um deputado, pela lei ele leva o tempo partidário e a parcela do fundo partidário, então deveria levar também a parcela dos funcionários”, disse Mansur.

Ainda que aprovem uma resolução para que a mudança ocorra, a Câmara terá que arcar com os gastos este ano. Uma possível nova regra só poderia valer para a próxima legislatura, a partir das próximas eleições.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212