Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ovos contaminados são recolhidos em operação belgo-holandesa - Jornal Brasil em Folhas
Ovos contaminados são recolhidos em operação belgo-holandesa


Autoridades holandesas executaram nesta quinta-feira (10) ordens de busca e apreensão no âmbito da investigação de ovos contaminados com fipronil e distribuídos em vários países da Europa - indicou a Procuradoria, acrescentando que duas pessoas foram presas.

Há várias apreensões na Holanda, em coordenação com os belgas, declarou a porta-voz da Procuradoria holandesa, Marieke van der Molen.

Os detidos são dois diretores da empresa que provavelmente usou esse produto nos criadouros avícolas, completou Marieke, referindo-se à ChickFriend.

O escândalo é alvo de investigação penal na Bélgica e na Holanda e envolve duas empresas: a holandesa ChickFriend, especializada na desinfecção de granjas avícolas, e seu fornecedor belga, a Poultry-Vision.

As batidas começaram depois de o ministro belga da Agricultura, Denis Ducarme, ter acusado a Holanda, na quarta-feira, de descuido no trato das informações sobre a presença de fipronil nos ovos fornecidos pelas granjas do país. Pesticida comumente usado, essa substância pode causar vômitos e problemas neurológicos em doses altas.

A Holanda é um dos maiores exportadores mundiais de ovos.

Ducarme afirmou que as autoridades holandesas receberam um aviso sobre o uso de fipronil nas granjas em novembro de 2016. Haia nega a informação.

Segundo o jornal Het Laatste Nieuws, as batidas foram realizadas em oito endereços em Flandres, no norte da Bélgica. A maioria é de empresas especializadas na desinfecção de produtos agrícolas.

Em outra ação, uma tonelada de ovos líquidos contaminados com fipronil foi encontrada em um armazém na Romênia, anunciou a ANSVSA, autoridade veterinária e sanitária do país. Essa é a primeira vez que os alimentos são localizados no Leste Europeu.

Segundo o órgão, os ovos importados da Alemanha não foram postos à venda.

Com a descoberta, sobe para nove o número de países onde foram localizados ovos contaminados. Originada na Bélgica, na Holanda e também em algumas granjas da Alemanha, a crise teve repercussões em outros seis países europeus que importaram esses ovos - França, Suíça, Suécia, Reino Unido e Luxemburgo, além da Romênia - e provocou a retirada preventiva de milhões de unidades dos supermercados.

- 700 mil no Reino Unido -

O Reino Unido importou cerca de 700 mil ovos contaminados pelo uso fraudulento do pesticida fipronil em criadouros de galinhas poedeiras, anunciou a Agência britânica de Segurança Alimentar (FSA, na sigla em inglês) nesta quinta-feira.

É provável que o número de ovos que chegaram ao Reino Unido seja mais próximo de 700 mil do que dos 21 mil que pensávamos ter importado, publicou a FSA em sua página institucional.

Após realizar testes em um supermercado e com fabricantes de produtos processados, o governo de Luxemburgo já havia confirmado, na terça-feira, que foram vendidos ovos contaminados no mercado luxemburguês, na rede de supermercados Aldi. O que restava dos dois lotes afetados foi retirado das prateleiras.

Um deles não apresenta risco de saúde para o consumidor, e o outro não deve ser consumido por crianças muito pequenas, adverte a nota divulgada pelas autoridades.

O governo anunciou que outra rede de supermercados, a Cactus, também havia sido afetada. Resultados de uma análise de rotina mostraram que um lote procedente de uma propriedade na Holanda continha pequenas quantidades de fipronil.

Duas empresas de catering, a Caterman e a Carnesa, anunciaram, por sua vez, terem recebido entregas de ovo líquido procedentes de uma propriedade contaminada. Uma parte foi usada na fabricação de produtos.

A última produção na Caterman, com base nesses lotes, aconteceu em 25 de julho, e o prazo de validade dos produtos fabricados está vencido, motivo pelo qual não há mais produtos no mercado, explicou o governo luxemburguês.

Também nesta quinta-feira, a empresa química alemã BASF anunciou que vai deixar de comercializar o fipronil na União Europeia, onde é usado em sementes.

A BASF decidiu, por razões econômicas, não voltar a registrar [o fipronil] para o tratamento das sementes na Europa, explicou o grupo de Ludwigshafen em um comunicado.

Apontado no passado como responsável por uma alta na mortalidade de abelhas, o fipronil é usado na Europa apenas em alguns cultivos, para proteger as sementes de alho-poró, cebola, cebolinha e couve. Ele não poderá mais ser vendido depois de 30 de setembro.

A decisão desta quinta não afeta os tratamentos contra formigas, baratas e cupins, os quais a BASF vai continuar produzindo e são autorizados pela UE até 2023.

O fipronil está presente nos produtos veterinários utilizados em animais de estimação contra pulgas, carrapatos e ácaros. A UE proibiu sua aplicação no caso de animais destinados ao consumo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera esse pesticida moderadamente tóxico para o homem quando usado em grandes quantidades.

 

Últimas Notícias

Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida
Bolsonaro reitera que decisão sobre médicos cubanos é humanitária

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212