Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Investimento estrageiro cai na América Latina devido às matérias-primas - Jornal Brasil em Folhas
Investimento estrageiro cai na América Latina devido às matérias-primas


Santiago (Chile), 10 ago (EFE).- O investimento estrangeiro direto (IED) perdeu dinamismo na região em 2016 em relação ao ano anterior devido aos baixos preços das matérias-primas e ao lento crescimento regional, afirmou nesta quinta-feira a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), Alicia Bárcena.

Os fluxos de IED para a região caíram 7,9% no ano passado, com um total de US$ 167,04 bilhões, segundo o relatório O Investimento Estrangeiro Direto na América Latina e no Caribe - 2017, apresentado nesta quinta-feira em Santiago.

No texto, a Cepal afirma que o IED em 2016 diminuiu 17% desde o máximo atingido em 2011, de US$ 206,9 bilhões.

A América Latina perde dinamismo. Nesta queda, observamos que recebemos 10% do IED global, similar a 2015, mas houve uma baixa muito importante desde 2011, afirmou Bárcena.

Atualmente, os fluxos de IED representam 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) da região, enquanto a média global é de 2,5%, o que mostra a relevância desse dinheiro nas economias latino-americanas.

Bárcena afirmou que em 2016 as economias desenvolvidas tiveram um maior protagonismo, levando 59% do total de IED em nível mundial, graças ao ressurgimento do nacionalismo econômico.

Por sua vez, as economias emergentes tiveram no ano passado uma participação de 37% do IED global, o que se explica pela mudança das transnacionais para mercados que oferecem sofisticação tecnológica e também pela expansão da economia digital, que se concentra nos países desenvolvidos.

Nesse sentido, um dos setores da América Latina que manteve o dinamismo foi o de automóveis, ao diversificar sua carteira de produtos com um foco para a automatização dos veículos.

Se espera que, em 2020, cerca de 75% da produção seja de veículos conectados. Aparecerão também as primeiras versões comerciais de veículos totalmente autônomos, indicou o relatório.

A tendência global propicia, além disso, fusões e aquisições nas economias avançadas. A China é o segundo maior investidor após os Estados Unidos, com suas compras se concentrando no próprio território americano e na Europa, que recebeu 71% do total de IED.

Na região, no entanto, o IED só cresceu em nove países entre 2015 e 2016, entre eles o Brasil. Apesar da recessão, o país recebeu 5,7% mais investimentos diretos em 2016, se mantendo como o principal receptor da região, com US$ 78,9 bilhões (47% do total).

Por setores, o IED dirigido a recursos naturais caiu de 18% para o período entre 2010 e 2015 para 13% em 2016, em linha com a queda dos preços das matérias-primas.

Por outro lado, o peso das manufaturas e dos serviços cresceu para 40% e 47%, respectivamente.

Os novos investimentos foram concentrados em energias renováveis, telecomunicações e no setor automotivo.

Entre os desafios citados por Bárcena para a região, está uma adaptação entre o modelo de investimento e de inserção comercial. Também é preciso repensar a política regional de investimentos em conjunto com a mudança tecnológica e o desenvolvimento sustentável, com foco nas cidades inteligentes, saúde digital e inovação.

A secretária-executiva da Cepal conclui no relatório que o IED foi um fator muito importante para o desenvolvimento de atividades exportadoras essenciais para o crescimento da região e para a criação de novos setores, mas as elevadas brechas de produtividade e de tecnologia mostram que isso não foi suficiente.

A Cepal projetou para 2017 uma queda de 5% dos investimentos estrangeiros diretos na região. EFE

 

Últimas Notícias

Revolta com Woody Allen cresce à medida que filha reafirma abuso
Ellen Pompeo assina mais duas temporadas de Greys Anatomy por US$ 20 mi ao ano
Brigitte Bardot critica atrizes que provocam para conseguir papel
Filha de Woody Allen reafirma ter sido abusada pelo cineasta em entrevista
Após acusações de filha de Woody Allen, Hollywood se afasta do diretor
Me Chame Pelo Seu Nome e Pela Janela estão entre as boas estreias da semana nos cinemas
Após 950 anos, França irá emprestar Tapeçaria de Bayeux ao Reino Unido
Veja como é o teste que Trump fez para detectar distúrbios cognitivos

MAIS NOTICIAS

 

Tantas pontuações já não significam nada, afirma premiado chef francês
 
 
Leonardo DiCaprio protagonizará filme de Tarantino sobre Charles Manson
 
 
DiCaprio vai estrelar filme de Tarantino sobre assassinatos de Charles Manson
 
 
Palestinos buscam dar uma resposta a Trump sobre Jerusalém
 
 
Países e organizações indignados com Trump por declarações racistas
 
 
Oliver Stone assina petição para que Lula possa disputar eleição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 4018-8212