Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 4 dicas para escolher um financiamento automotivo - Jornal Brasil em Folhas
4 dicas para escolher um financiamento automotivo


SÃO PAULO – Comprar um carro zero é o sonho de muita gente. No entanto, é importante ter em mente a forma como pagá-lo e a melhor saída é a quitação à vista. Quem precisa parcelar deve ficar atento às condições de financiamento.

A Proteste visitou agências e concessionárias e enviou questionários a quatro montadoras do país e a oito bancos que atuam no financiamento de veículos, pedindo informações sobre os planos de financiamento disponíveis. Dos oito consultados, apenas o Banco do Brasil, Itaú e Banco Ford responderam. A associação visitou ainda, agências de outros bancos e a duas concessionárias de cada montadora no Rio de Janeiro.

O estudo encontrou diferenças significativas entre os custos, inclusive para o mesmo modelo, chegando a mais de R$ 4.500 ao final do financiamento de um carro popular. Para descobrir, de fato, o valor que vai pagar, não basta conferir os juros e as parcelas, o consumidor precisa ficar atento ao CET (Custo Efetivo Total) do financiamento, que mostra as taxas inclusas, além dos juros, como IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), tarifa de cadastro e seguros.

Os bancos e as lojas não costumam divulgar esses custos, mas o consumidor deve exigi-los, orienta a entidade. De olho nisso, a Proteste separou quatro dicas para melhorar a escolha do financiamento de um veículo. Veja:

Poupe ao máximo para a entrada Ao optar por um financiamento, procure oferecer a maior entrada que conseguir, pois quanto mais alta, melhores serão as chances de negociar descontos e facilidades nas parcelas.

Caso você opte por um financiamento em banco comum, vá até a instituição com o orçamento em mãos, e solicite o crédito para a compra do veículo. Após o valor ser depositado na sua conta, você pode ir a uma concessionária ou revendedora e negociar a compra do carro à vista. Aproveite para pedir desconto.

Desconfie de ofertas com “taxa zero” A chamativa taxa zero não existe, porque há custos que devem estar incluídos em algum lugar, por isso, fique atento aos anúncios e às letras minúsculas exibidas nos comerciais. Para acabar logo com a dúvida, pergunte ao vendedor qual seria o desconto obtido no pagamento à vista na compra desse carro que poderia ser financiado com taxa zero.

O financiamento pode até ser isento de juros, mas você precisa conferir se o CET também é zero, o que é pouco provável. Várias taxas administrativas podem estar inclusas e encarecerem o financiamento.

Na maioria dos casos, é exigida uma entrada mínima de 60% do valor do veículo e um número de prestações mais reduzido. É comum, por exemplo, a oferta de, no máximo, 24 parcelas em promoção de bancos de montadoras.

Pesquise o Custo Efetivo Total A Proteste encontrou variações significativas para o mesmo modelo de carro em diferentes bairros. O importante é não desanimar e pesquisar bastante o CET, que é a melhor ferramenta de comparação de financiamento, segundo a associação. Quanto menor, mais em conta será o valor que você vai pagar pelo carro.

Veja um exemplo: ao financiar, em 24 vezes, 60% de um Ford Ka SE 1.0 em uma concessionária da montadora, em Campinho (bairro do Rio de Janeiro), o CET é de 17,57% ao ano. Já na Tijuca, sobe para 29,81% ao ano. Isso significa uma parcela de R$ 1.178 no primeiro caso e de R$ 1.297, no segundo. E se ainda escolher a alternativa mais cara para esse perfil, que é no Bradesco, com CET de 37,79%, as parcelas vão chegar a R$ 1.372,26. Assim, ao final do financiamento, você terá pago a mais R$ 4.662,24.

Custos “extras” na manutenção Antes de assumir um financiamento, lembre-se também de que este vai ser um relacionamento de longo prazo. Analise se vai ter possibilidade, de fato, de pagar toda a conta simulando os gastos mensais que você terá com sua nova aquisição. Isso porque há outros custos envolvidos na manutenção de um carro.

Além da prestação, leve em conta, por exemplo, o Imposto sobre IPVA (Veículos Automotores), seguro, combustível e eventuais consertos como as revisões previstas no manual do carro e que são obrigatórias para validade da garantia. Simule quanto você gasta de combustível por mês conforme o seu perfil de uso, custos extras de estacionamento e até equipamentos que você pode querer incluir em seu veículo como os kit multimídia, navegador, câmera de ré e sensor para manobras etc.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212