Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Executivo farmacêutico dos EUA é condenado por fraude - Jornal Brasil em Folhas
Executivo farmacêutico dos EUA é condenado por fraude


Um júri de Nova York condenou nesta sexta-feira Martin Shkreli, um ex-gerente de fundos de cobertura (hedge fund) e executivo farmacêutico já considerado o homem mais odiado dos Estados Unidos, por somente três acusações de um total de oito.

O empresário de 34 anos, conhecido por provocar a multiplicação do preço do medicamento para aids e malária Daraprim, que passou de 13,5 para 750 dólares o comprimido de um dia para o outro em 2015, foi considerado culpado de três acusações ao fim de um julgamento que durou praticamente um mês.

O júri de 12 membros o declarou culpado pelas acusações de fraude acionária e conspiração para cometê-la no quinto dia de deliberações em uma corte federal do Brooklyn, Nova York.

A jornalistas fora da corte, Shkreli, que foi liberado sob fiança, disse que estava encantado com o veredicto.

Fomos absolvidos das acusações mais importantes neste caso e estou encantado de informar isso, afirmou, agradecendo Ben Brafman, o melhor advogado do planeta.

A Procuradoria acusava Shkreli de roubar 11 milhões de dólares em ações de sua primeira companhia farmacêutica Retrophin para pagar investidores que haviam perdido dinheiro em seus dois fundos de cobertura.

O ex-agente poderia ser condenado a 20 anos de prisão caso fosse declarado culpado pelas oito acusações.

Nesta sexta-feira, sua equipe de advogados, liderados pelo célebre defensor Ben Brafman -que representou, entre outros, o ex-diretor do FMI Dominique Strauss Kahn-, disse que tem a esperança de que seu cliente consiga evitar a prisão.

Os promotores governo disseram que as provas como contra Shkreli eram avassaladoras e que ele contou uma mentira atrás da outra a investidores durante anos, ao gerenciar um esquema pirâmide através de várias companhias.

Shkreli se negou a testemunhar em seu julgamento. Seu advogado o apresentou como um gênio com problemas que havia acampado em seu escritório em um saco de dormir durante dois anos para construir sozinho uma empresa farmacêutica de sucesso e para poder pagar o que devia a investidores endinheirados.

O executivo foi acusado de fraude acionária, conspiração para cometer fraude acionária e conspiração para cometer fraude bancária por orquestrar três esquemas inter-relacionados para enganar investidores e apropriar-se de ativos de maneira indevida.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212