Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ex-procuradora venezuelana acusa Maduro de envolvimento com caso Odebrecht - Jornal Brasil em Folhas
Ex-procuradora venezuelana acusa Maduro de envolvimento com caso Odebrecht


O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, está envolvido no escândalo de corrupção global da empreiteira Odebrecht, denunciou nesta sexta-feira a ex-procuradora Luisa Ortega, segundo um áudio divulgado pela Procuradoria mexicana.

Temos o detalhe de toda a cooperação, montantes e personagens que enriqueceram e essa investigação envolve o senhor Nicolás Maduro e seu entorno, afirmou a ex-procuradora no áudio divulgado pela Procuradoria durante a Cúpula de Procuradores e Procuradores-gerais da América Latina no estado de Puebla.

O escândalo global de corrupção da Odebrecht tem sacudido os círculos de poder da América Latina, levando ex-presidentes, políticos e empresários à prisão dentro e fora do Brasil.

De acordo com as declarações do ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, a Venezuela é o segundo país latino-americano onde se pagou mais subornos (98 milhões de dólares), só atrás do Brasil.

Ortega denunciou também que no dia 5 de agosto, quando foi destituída pela Constituinte, o Ministério Público foi atacado e tomado militarmente pela força das baionetas.

Mais de 300 militares da guarda nacional participaram desse desonroso evento, disse.

A ex-procuradora, que está proibida de sair da Venezuela e teve suas contas bancárias congeladas, acrescentou que há uma perseguição sistemática contra ela.

Poderão inventar delitos, poderão continuar prendendo meus familiares e meu entorno, mas jamais renunciarei a algo que jurei, que é defender até o último suspiro a democracia, a liberdade e os direitos humanos na Venezuela, disse.

Ortega não informou de onde falava. Uma fonte do MP mexicano disse que as autoridades do México desconhecem se Ortega está no país.

A Venezuela vive uma crise política e econômica que foi acentuada com a instalação da Assembleia Constituinte proposta por Maduro, o que gerou protestas deixaram 125 mortos desde o início de abril.

Ao ler as conclusões do evento, o procurador-geral do México, Raúl Cervantes, disse que condenamos energicamente a ilegal e arbitrária destituição e perseguição da procuradora-geral da república bolivariana da Venezuela.

No evento participaram procuradores e representantes de Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Panamá, Paraguai e Estados Unidos.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212