Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Encontrada no México espécie de preguiça-gigante do final do Pleistoceno - Jornal Brasil em Folhas
Encontrada no México espécie de preguiça-gigante do final do Pleistoceno


O fundo de um profundo cenote, no meio das paradisíacas praias caribenhas do México, foi o túmulo de uma preguiça-gigante que viveu 10.000 anos antes da era cristã, durante o final do Pleistoceno, cuja descoberta foi anunciada nesta quarta-feira por cientistas mexicanos.

A nova espécie recebeu o nome científico de Xibalbaonyx oviceps, em alusão à palavra maia Xibalbá, um perigoso inframundo mitológico, representado pelas cavernas onde os restos foram encontrados, assim como aos termos onix (grego), por suas garras, e ovum (latim), pois a forma de seu crânio é similar a um ovo.

Os restos foram descobertos em 2010 pelo explorador Vicente Fito, no cenote chamado Zapote, dentro de uma área conhecida como a Rota dos Cenotes, indicou um comunicado do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

O esqueleto se encontra quase completo, distribuído entre 50 e 55 metros de profundidade, e por isso se acredita que o animal caiu quando o cenote estava seco, ou possivelmente com um pouco de água a uma maior profundidade, detalhou o INAH.

Os cenotes são depósitos subterrâneos de água, localizados nos estados mexicanos de Yucatán e Quintana Roo (leste) e em outras partes da América.

O crânio e a mandíbula da preguiça, batizada de Pote, assim como nove vértebras, três ossos longos, três costelas e sete garras foram coletados em 2014, como parte de um resgate dirigido pela arqueóloga do INAH Carmen Rojas Sandoval.

As primeiras datações indicam uma antiguidade de entre 10.647 e 10.305 anos antes da era cristã, acrescentou o INAH.

Os preguiças-gigantes foram amplamente documentados na América do Sul, a partir de onde migraram para a América do Norte há nove milhões de anos, embora as rotas e relações evolutivas da espécie entre os dois continentes ainda sejam pouco compreendidas, assim como os eventuais habitats e as barreiras geográficas.

 

Últimas Notícias

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro
Marcha da Consciência Negra pede democracia, direitos e fim do racismo
Bolsonaro diz que vai seguir normas legais para indicação à PGR
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
Conselho de Ética da Câmara arquiva representação contra Laerte Bessa
Reunião do Escola sem Partido é novamente suspensa em comissão mista
Eunício e equipe do futuro governo voltam a discutir cessão onerosa
Brasil encerra o ano com vitória sobre Camarões por 1 a 0

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212