Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Venezuela: Maduro aumenta gasolina e desvaloriza bolívar diante da crise - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela: Maduro aumenta gasolina e desvaloriza bolívar diante da crise


O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quarta-feira o aumento na gasolina mais barata do mundo e uma desvalorização da moeda nacional, o bolívar, para enfrentar a profunda crise econômica do país.

Pela primeira vez em 20 anos, a gasolina super de 95 octanas aumentou, passando de 0,01 dólar para 0,60 dólar, anunciou o presidente em rede nacional de rádio e televisão.

Adiado várias vezes por Maduro, o aumento da gasolina era quase um tabu. Em 1989, o aumento do preço do combustível foi um dos gatilhos do Caracazo, como ficou conhecida a sangrenta convulsão social ocorrida na época.

Convoco a paz e o respeito de todas essas decisões necessárias. Chegou a hora de instalarmos um sistema que garanta o acesso aos hidrocarbonetos a preços justos, completou.

Maduro também anunciou reformas no complexo sistema cambial venezuelano que terá apenas duas bandas a partir de sexta-feira. Atualmente, são três.

O dólar para importar alimentos e remédios passou de 6,3 bolívares para 10 bolívares, o que implicou uma desvalorização de 37% da moeda nacional. A outra banda do sistema cambial será flutuante a partir dos 200 bolívares por dólar.

O sistema de câmbio será simplificado em duas bandas (...) busca estimular a produção, disse Maduro, sem dar detalhes do novo regime.

Ele também anunciou um aumento de 20% no salário mínimo, que passará de 9.600 bolívares para 11.520 bolívares.

Economistas se mostraram céticos em relação às medidas.

A Venezuela registrava uma inflação de 141,5% em termos anuais em setembro de 2015 (oficial). No ano passado, a contração econômica foi de quase 7%, e o déficit público alcançou 20%, de acordo com economistas privados, em uma conjuntura adversa pela queda dos preços do petróleo. Atualmente, a commodity se encontra abaixo de 30 dólares o barril.

Com as maiores reservas de petróleo do mundo e altamente dependente das importações, a Venezuela passa por uma seca de dólares agravada pela queda dos preços do cru. O petróleo ainda responde por 96% de suas divisas.

O presidente informou que a receita do país caiu de 42 bilhões de dólares em 2013 para 12,5 bilhões de dólares em 2015, uma queda de 70%.

Economistas independentes atribuem a falta de acesso a divisas ao regime de controle cambial adotado em 2003 pelo governo de Hugo Chávez (1999-2013). Hoje, Maduro reconheceu que este modelo está esgotado.

O novo sistema de duas bandas, que eliminou uma terceira taxa de câmbio de 13,5 bolívares para matérias-primas e insumos industriais, busca - segundo Nicolás Maduro - fazer que o país salte de uma economia rentista petroleira para um modelo produtivo.

Para o diretor da Econanalítica, Asdrúbal Oliveros, uma desvalorização ou aumento da gasolina ou de preços não são as medidas que vão tirar a Venezuela da crise. Isso requer muito mais, advertiu.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212