Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Por que mesmo vendo o Ibovespa a 50 mil pontos em 2016, Credit não recomenda comprar Brasil? - Jornal Brasil em Folhas
Por que mesmo vendo o Ibovespa a 50 mil pontos em 2016, Credit não recomenda comprar Brasil?


SÃO PAULO - O Credit Suisse e o BTG Pactual soltaram relatórios de estratégia para a América Latina, reforçando o seu ceticismo com o Ibovespa e reiterando a visão cautelosa sobre o Brasil.

O Credit divulgou relatório de estratégia, mantendo recomendação underweight (exposição abaixo da média). O banco, aliás, revisou o seu target para o Ibovespa, de 54 mil pontos para 50 mil pontos, o que configuraria um potencial de valorização de cerca de 20% em relação aos 41.560 pontos observados no intraday desta quinta-feira (18). Porém, eles seguem não recomendando o Brasil, e destacam sete motivos.

No caso do Brasil, apesar do nosso target ter um upside de 20% em real, acreditamos que não seja suficiente para compensar alguns riscos como: (1) relação preço sobre lucro não está em níveis tão abaixo da média, especialmente quando ajustado às mudanças de composição do índice; (2) as estimativas de lucros devem continuar caindo; (3) a situação fiscal não tem mostrado melhora; (4) a inflação tem ficado persistentemente alta; (5) não esperamos um catalisador positivo para as empresas de commodities, uma vez que os preços devem continuar pressionados e a alavancagem alta; (6) depreciação do câmbio é um risco relevante para retornos em dólares e o (7) risco da China e preocupação com o crescimento global podem significar aumento de aversão a risco para países com um high-beta, como o Brasil.

Já o BTG, que tem recomendação neutra para as ações brasileiras, destaca: mesmo que a presidente do Brasil tenha vindo a público defender publicamente as medidas para equilibrar as contas fiscais, os movimentos do partido dela e das bases sociais são diametralmente opostos à maioria das reformas propostas.

Embora as ações brasileiras pareçam muito mais atraentes, o cenário político e econômico sombrio da última análise nos obriga a permanecer na defensiva. Adicionalmente, as variáveis macroeconômicas continuam surpreendendo por decepcionarem (contas fiscais, indicadores de atividade e inflação) e sem que haja sinais de estabilidade, avaliam os estrategistas.

Nós seguimos cautelosos com o Brasil, uma vez que os mercados devem seguir voláreis e os ativos sob pressão, o que nos leva a exposição em Suzano e Embraer e adicionando a Transmissão Paulista (por conta da proteção inflacionária) no nosso portfólio, ressalta o BTG. O banco também reforça o seu ceticismo em relação ao governo adotar medidas impopulares, mas necessárias, em pleno ano eleitoral.

Cabe ressaltar também a comparação do Brasil em relação aos outros países da América Latina. O Credit possui recomendação overweight (exposição acima da média) no México ressaltando que, embora a volatilidade global continue a pressionar, os indicadores domésticos continuam bastante robustos. A Colômbia tem a mesma classificação que o México. Já o Chile possui recomendação marketweight (exposição em linha da média), enquanto o Peru tem a mesma recomendação do Brasil.

No caso do BTG, México, Colômbia e Peru são overweight enquanto que, ao lado do Brasil, o Chile tem recomendação neutra.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212