Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Segundo dia do I Seminário Internacional sobre Educação Infantil aborda políticas públicas e desenvolvimento social - Jornal Brasil em Folhas
Segundo dia do I Seminário Internacional sobre Educação Infantil aborda políticas públicas e desenvolvimento social


Políticas públicas para a Educação Infantil, qualidade e desenvolvimento social e saúde da criança foram os temas abordadas na manhã desta sexta-feira, dia 18, o segundo dia do I Seminário Internacional sobre Educação Infantil, promovido pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce). O evento, que termina na noite desta sexta-feira, no Hotel San Marino, em Goiânia, reúne prefeitos e secretários dos municípios que participam do desafio de promover o acesso à Educação Infantil, uma iniciativa da Seduce dentro do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI) do Governo de Goiás.

A primeira palestra do segundo dia do seminário foi ministrada pela coordenadora geral de Educação Infantil do Ministério da Educação, Carolina Helena Micheli Velho, que abordou políticas públicas para a Educação Infantil. A coordenadora, que representa o ministro da Educação Mendonça Filho, frisou que Goiás tem grandes desafios pela frente como investir na qualidade do ensino, aumentar o número de vagas, reduzir as desigualdades, criar novas formas de relação entre público e privado e financiar a Educação Infantil.

A secretária Raquel Teixeira informou que o Governo de Goiás oferece o cheque comunitário para a construção de creches e que alguns gestores estão pedindo esse recurso para acoplar essa creche a uma unidade escolar de Ensino Fundamental. “Para eles, é melhor ampliar do que construir. A preocupação é se o governo federal consegue enviar recursos para manter essa creche”, disse Raquel.

“Infelizmente, o recurso está minguando. Por isso é importante que os secretários e prefeitos também façam junto a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) e ao Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) colocações para garantir recursos. Essa ajuda do governo estadual para iniciar a ampliação até que venha o Fundeb é imprescindível”, respondeu Carolina, que citou alguns projetos como o Brasil Carinhoso e o ProInfância.

Ela ainda falou sobre as ações da escola na formação de uma cultura letrada e o fortalecimento parental. “A cultura da leitura e práticas de alfabetização precisam estar presentes dentro das unidades educacionais. Os pais precisam ser estimulados a interagir não só dentro de casa, mas também nos espaços escolares”, finalizou.

Amor e carinho

A segunda palestrante da manhã foi da diretora da Escola de Educadores de São Paulo, Beatriz Mangione Sampaio Ferraz , com o tema Educação Infantil: Qualidade e desenvolvimento Social.

Beatriz explicou que três níveis de estresse impactam fortemente no desenvolvimento da criança: estresse positivo – susto ou uma leve frustração; estresse tolerável – dificuldades mais severas e longas, uma perda ou separação, e estresse tóxico – que pode perturbar a construção do cérebro e outros sistemas corporais. “Esse último é comum em ambientes vulneráveis e a escola deve estar atenta para não perpetuar isso. Isto deve ser feito dando atenção, amor e carinho para a criança e estimulando essa prática na família”, defendeu.

A diretora apresentou um quadro em que apenas 51% das crianças são levadas ao pediatra regularmente, 19% delas brincam e passeiam, 18% recebem atenção dos adultos e 12% recebem carinho e afeto. “As crianças dependem de uma interação qualificada para sua sobrevivência. Nós estamos no limite do inadequado e precisamos avançar na garantia de direito das crianças, que é a educação com qualidade e engajar, dar suporte emocional para que ela cresça sabendo que pode ser quem quiser”, afirmou.

Ainda durante a palestra, Beatriz relembrou o Plano Nacional de Educação, que inclui na Meta 1 ‘universalizar a educação infantil na pré-escola para as crianças de quatro a cinco anos e ampliar a oferta de Educação Infantil em creches de forma a atender no mínimo 50% das crianças de até três anos’. “A educação infantil vai fazer uma grande diferença na vida dessas crianças, estimulando instituições que promovam o desenvolvimento de cada uma”, finalizou.

O I Seminário Internacional sobre Educação Infantil: Caminhos e Conhecimentos para o Desenvolvimento da Primeira Infância é uma iniciativa da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e o Ministério da Educação (MEC).

Investimentos em primeira infância contribuem para crescimento econômico

Uma das apresentações mais aguardadas pelo público no segundo dia do I Seminário Internacional sobre Educação Infantil foi a da pesquisadora Mary Eming Young, do Centro de Desenvolvimento Infantil/Fundação de Pesquisa de Desenvolvimento da Criança da China/Universidade de Harvard/EUA com o título Saúde da Criança.

Em uma palestra com tradução simultânea, a simpática Young, que também é consultora técnica do programa Criança Feliz, do Governo Federal, prendeu a atenção da plateia ao defender a importância de investimentos na primeira infância nos aspectos educacionais, de saúde, capital social e equidade. Ela estabeleceu a relação entre desenvolvimento infantil, crescimento econômico e desenvolvimento social.

A defesa da especialista foi alicerçada em várias pesquisas – muitas delas desenvolvidas pelo Banco Mundial, onde Young atuou como especialista sênior em Saúde Pública. Um dos dados apresentados pela palestrante foi o de que cada ano de Educação Infantil resulta em 4,4 anos a mais de escolaridade na vida adulta e que isto ainda tem como reflexo um aumento de 5,5% na renda do trabalhador.

Para Young, a primeira infância desassistida dos três pilares – saúde, educação e proteção social – prejudica significativamente o futuro das crianças. “Isso trará reflexos não só no aprendizado, mas também no funcionamento do cérebro, podendo culminar até na morte prematura de jovens”, destacou lembrando os indicadores de violência.

A palestrante explicou que na primeira infância são desenvolvidas, de maneira mais intensa, as habilidades sociais e cognitivas. A solução, diz Young, é investir em saúde, amparo social e equidade para que municípios, estados e países alcancem crescimento econômico e promoção do desenvolvimento humano.

Ao finalizar sua fala, Eming lembrou que, para os avanços necessários, é imprescindível o “compromisso político de secretários estaduais, prefeitos e secretários municipais de Educação com os programas criados para dar atenção à primeira infância”.

I Seminário Internacional sobre Educação Infantil: Caminhos e Conhecimentos para o Desenvolvimento da Primeira Infância é uma iniciativa da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e o Ministério da Educação (MEC) e integra o desafio de promoção do acesso à Educação Infantil do programa Goiás Mais Competitivo e Inovador do Governo de Goiás.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212