Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Irã apoia medidas para estabilizar mercado do petróleo - Jornal Brasil em Folhas
Irã apoia medidas para estabilizar mercado do petróleo


O Irã manifestou nesta quarta-feira apoio às medidas propostas por outros grandes países produtores de petróleo para estabilizar o mercado e reverter a queda brutal do preço do barril.

Esperamos o início da cooperação entre os países membros e não-membros da OPEP e apoiamos todas as medidas que possam estabilizar o mercado e aumentar os preços, declarou o ministro do Petróleo iraniano, Bijan Zanganeh, citado pelo serviço de comunicação do ministério.

Na véspera, Arábia Saudita, Rússia, Venezuela e Catar decidiram em Doha congelar sua produção de petróleo para estabilizar os preços, mas o anúncio não teve um grande impacto nos mercados, que esperavam cortes.

A iniciativa, que prevê manter os níveis de produção nos níveis de janeiro, também está condicionada a que os outros grandes produtores se somem a ela.

A posição do Irã era particularmente esperada, uma vez que o país havia anunciado sua intenção de aumentar a sua produção para recuperar mercados após o recente levantamento das sanções impostas pelas grandes potências por seu programa nuclear.

O Irã, segundo maior produtor da OPEP atrás da Arábia Saudita, produz cerca de 2,8 milhões de barris por dia e exporta mais de um milhão. Em janeiro, após o fim das sanções, anunciou a sua intenção de aumentar a produção em mais de 500.000 barris por dia.

Zanganeh descartou na terça-feira que o Irã renunciará a sua quota de mercado, mas disse que estava pronto para discutir possíveis tetos de produção.

O preço do petróleo caiu mais de 70% desde junho de 2014, chegando a ser cotado este ano abaixo de 30 dólares.

O anúncio de um possível congelamento da produção surtiu pouco efeito na terça-feira nos mercados, que esperavam cortes para absorver o excesso de oferta. Os preços do petróleo fecharam mesmo em retirada, depois de um breve rali.

Nesta quarta-feira, no entanto, os preços do petróleo se recuperavam com a perspectiva de um compromisso iraniano. Às 17h00 GMT (15h00 de Brasília), o contrato do barril de West Texas Intermediate para entrega em abril subia 2,13 dólares, a 34,31 USD.

O barril de Brent do mar do Norte subia 1,62 USD em relação ao fechamento de terça, a 30,66 dólares, enquanto o barril de light sweet crude (WTI) para entrega em março ganhava 1,62, para 30,66 dólares, no New York Mercantile Exchange (Nymex).

O ministro do Petróleo saudita, Ali al-Nuaimi, afirmou que o acordo pretende estabilizar o mercado.

A queda nos preços foi em grande parte devido à estratégia da OPEP, especialmente da Arábia Saudita, de inundar o mercado para defender a sua parte contra os produtores de petróleo e gás de xisto nos Estados Unidos.

Mas essa estratégia causou uma redução drástica na receita de países em grande parte dependentes das exportações de hidrocarbonetos.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212