Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Para nota do Brasil voltar para estável seria bom ver o PIB melhorar, diz S&P - Jornal Brasil em Folhas
Para nota do Brasil voltar para estável seria bom ver o PIB melhorar, diz S&P


SÃO PAULO - A agência de classificação de risco Standard & Poors realizou uma teleconferência na tarde desta quinta-feira (18) para comentar o corte do rating do Brasil para BB- anunciado na tarde de ontem. Entre os detalhes, a agência justificou a perspectiva negativa da nota do País por conta da atual dinâmica política e o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com a S&P, não há um prazo para a mudança de perspectiva da nota do Brasil, sendo que para que a nota volta para estável, seria bom ver o PIB (Produto Interno Bruto) do País melhorar. Ontem, a agência citou os casos de corrupção na Petrobras como um dos fatores para o rebaixamento, e, durante a teleconferência de hoje, a S&P afirmou que vê uma alta probabilidade do governo ajudar a estatal petrolífera.

Os diretores da agência ressaltaram ainda que fizeram um ajuste das expectativas para um déficit maior este ano, que de acordo com a S&P deve ser de 8% tanto para 2016 quanto para 2017, sendo que no ano seguinte o déficit deve cair para 5% do PIB. Apesar da visão bastante negativa, a S&P projeta que o Brasil volte a crescer no ano que vem.

Além disso, a agência afirma que vê alguns retrocessos e inconsistências nas atuais políticas brasileiras, mas que irão olhar para a elaboração de novas políticas com cuidado. Por outro lado, os diretores da S&P afirmaram que o pagamento total das pedaladas fiscais foi visto como um fator positivo para o País.

Em relatório divulgado ontem, a S&P afirma que os desafios econômicos e políticos do Brasil continuam consideráveis e agora a expectativa é de um processo de ajuste mais longo. Uma correção mais lenta da política fiscal assim como outro ano de profunda contração econômica, disse a agência em relatório.

No documento, a agência ainda citou o processo de impeachment de Dilma como um fator que deve continuar atenuando o sentimento empresarial. É difícil imaginar o Brasil retomando o crescimento até que suas incertezas políticas retrocedam, disse a S&P. Quando isso acontecer, restaurar o equilíbrio macroeconômico e o avanço da reforma microeconômica será fundamental para apoiar o investimento e o crescimento, completou.

 

Últimas Notícias

Furto de combustível causou explosão que matou ao menos 66 pessoas
Sobe para 399 número de presos por ataques no Ceará
Migrantes desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo já são 114
Aniversário de São Paulo terá programação com diversidade de ritmos
Mais de 600 pessoas levavam gasolina na hora da explosão de oleoduto
Pré-carnaval movimenta foliões nas ruas do Rio
Brasil expressa condolências às famílias das vítimas no México
Marcha das Mulheres reúne milhares pelo mundo

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212