Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Exército libanês faz uma pausa em ofensiva contra o Estado Islâmico - Jornal Brasil em Folhas
Exército libanês faz uma pausa em ofensiva contra o Estado Islâmico


O exército libanês anunciou neste domingo uma suspensão de sua ofensiva contra o grupo Estado Islâmico (EI) na fronteira com a Síria, para abrir passagem para as negociações para libertar vários soldados sequestrados desde 2014.

Horas depois desse anúncio, as autoridades libanesas informaram ter localizados restos humanos que poderiam ser dos soldados tornados reféns.

O cessar unilateral dos combates começou às 07H00 hora local (01H00 de Brasília).

"A batalha cessou. O Exército continuará com o combate se tiver motivos para fazer isso, ou se não ficarmos satisfeitos coma solução", afirmou o comando militar.

Nove soldados estariam sequestrados desde que os combatentes do EI incursionaram na localidade libanesa de Arsal, em agosto de 2014, tomando como prisioneiros 30 soldados e policiais.

Quatro foram assassinados por seus captores, um quinto morreu por causa de ferimentos e 16 foram libertados em uma troca de prisioneiros em dezembro de 2015.

Não se sabia se os soldados retidos pelos extremistas estavam vivos ou mortos, mas fontes oficiais indicaram que se estava procurando os corpos dos soldados desaparecidos.

Segundo o direto da Segurança Geral, general Abbas Ibrahim, combatentes do EI que se renderam às forças libanesas as levaram ao local onde estariam os restos dos soldados capturados.

"Recuperamos os restos de seis corpos. Esperamos recupera oito no total. Acreditamos que esses restos pertençam aos soldados sequestrados", declarou o general à imprensa.

A guerra que assola a Síria se transferiu para o Líbano, onde o EI revindicou vários ataques mortais, combateu o exército e o Hezbolah libanês e acampou nas regiões montanhosas ao leste, na fronteira sírio-libanesa.

O Exército libanês lançou em 19 de agosto sua ofensiva para expulsar o EI, alvo de ações similares na Síria e Iraque.

O comando militar libanês calcula a presença de 600 combatentes extremistas nas regiões de Jurud Ras Baalbeck e Jurud Al Qaa, onde controlam uma área de quase 120 quilômetros quadrados.

O Hezbollah iniciou no mês passado uma ofensiva para tentar expulsar os extremistas anteriormente vinculados à Al-Qaeda e rebeldes sírios de Jurud Aarsal, outra área do leste do país.

Após seis dias de combates, os dois lados chegaram a um cessar-fogo e um primeiro contingente de 8.000 pessoas - em sua maioria refugiados mas também jihadistas - foi levado para a Síria. Na segunda-feira, os últimos rebeldes sírios deixaram o Líbano.

A região de Jurud Aarsal havia se transformado em um refúgio para militantes sírios contrários ao regime e para uma quantidade indeterminada de pessoas que fugiam dos combates na Síria.

No mesmo dia do anúncio do exército, o Hezbollah informou o início de uma ofensiva para desalojar o EI do lado sírio da fronteira.

O porta-voz do exército libanês negou qualquer "coordenação" entre as Forças Armadas, Hezbollah e as tropas sírias.

 

Últimas Notícias

SP: viaduto que cedeu passará por elevação com macacos hidráulicos
Operação de feriado reduziu em 4% o total de acidentes graves, diz PRF
Seleção para o Mais Médicos terá limitador de vagas por município
Petrobras pode ser privatizada em parte, diz Bolsonaro
Traficante brasileiro extraditado do Paraguai é levado para o Paraná
Com proximidade do verão, Rio reforça campanha de combate à dengue
Embaixada do Brasil parabeniza Paraguai por extradição de traficante
Encontro avalia estratégias contra a corrupção e lavagem de dinheiro

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212