Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Número de peregrinos do Catar a Meca despenca após crise no Golfo - Jornal Brasil em Folhas
Número de peregrinos do Catar a Meca despenca após crise no Golfo


A crise no Golfo impediu a viagem a Meca de muitos peregrinos do Catar, que acusa a vizinha Arábia Saudita de ter politizado a celebração religiosa.

Embora o governo catariano não tenha divulgado nenhum número, a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Catar, vinculada ao governo, calculou que apenas de 60 a 70 peregrinos do pequeno emirado conseguiram viajar para a Arábia Saudita na semana passada.

As estimativas dos sauditas são maiores, e parte da imprensa menciona 1.200 fiéis procedentes do Catar.

Ainda assim, os números estão muito distantes dos 12.000 catarianos que fizeram a peregrinação no ano passado, segundo a agência oficial de notícias do Catar, a QNA.

Nas últimas semanas, a grande peregrinação muçulmana (hajj) à Meca, um dos pilares do Islã, foi o centro das divergências entre o Catar e a Arábia Saudita e seus aliados.

Riad, Emirados Árabes Unidos e Bahrein, além do Egito, romperam relações diplomáticas com o Catar em 5 de junho passado. Esses países acusaram Doha de manter vínculos com grupos extremistas e de aproximação com o Irã, o grande rival da Arábia Saudita na região.

Entre as sanções impostas ao Catar, que rejeita as acusações, está o fechamento por parte da Arábia Saudita de todas as fronteiras - terrestre, marítima e aérea - com o emirado, assim como o retorno de seus cidadãos residentes em território catariano.

Em 17 de agosto, porém, pouco antes do início do hajj, Riad fez uma sinalização ao Catar e suavizou as condições de acesso dos peregrinos deste país, especialmente através do posto de fronteira de Salwa, por onde passaram dezenas de fiéis.

Já o transporte de peregrinos catarianos em aviões sauditas, que também havia sido prometido por Riad, não aconteceu.

As autoridades catarianas não autorizaram o pouso dos aviões por falta de documentação, afirmou a agência saudita SPA, versão que foi negada pelo Catar.

Desde o início da crise no Golfo, os aviões da Qatar Airways não podem sobrevoar o espaço aéreo saudita.

A troca de farpas entre os países aumentou com as acusações do Catar sobre uma politização do hajj.

Mesmo as medidas anunciadas por Riad para suavizar as sanções provocaram uma polêmica sobre a mediação de um integrante da família real do Catar, xeque Abdallah ben Ali Al Thani, considerado por parte da imprensa como um rival do atual emir de Doha.

Ao mesmo tempo, o Catar não convocou seus cidadãos a viajarem para Meca. O governo chegou a expressar abertamente o temor de um possível assédio a seus fiéis, principalmente os que viajam sozinhos.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212