Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Exposição em São Paulo celebra 120 anos do nascimento de Di Cavalcanti - Jornal Brasil em Folhas
Exposição em São Paulo celebra 120 anos do nascimento de Di Cavalcanti


Pintor do cotidiano, da cultura brasileira e do samba, da sensualidade, das festas populares e dos operários, o artista Di Cavalcanti (1897-1976) ganha uma retrospectiva de sua obra na Pinacoteca de São Paulo, na capital paulista, a partir deste sábado (2).

Chamada de No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos, a retrospectiva é a maior exposição já realizada desde a morte do artista, reunindo mais de 200 obras, entre desenhos, pinturas e ilustrações. A mostra poderá ser vista até 22 de janeiro e marca os 120 anos do nascimento do artista.

As obras estarão expostas em sete salas do primeiro andar da Pinacoteca e tem curadoria de José Augusto Ribeiro. O objetivo, segundo ele, é investigar como o artista desenvolveu a ideia de “arte moderna e brasileira”.

Em entrevista à Agência Brasil, o curador disse que a exposição inclui obras de 1910 a 1970, tanto emblemáticas quanto desconhecidas e também de seu início como ilustrador. Ele lembrou que a mostra privilegia as obras entre 1920 e 1950, período mais regular do trabalho do artista, que percorre diferentes vertentes: do cubismo ao surrealismo, passando pelo expressionismo e o muralismo mexicano, entre outros movimentos. “Di Cavalcanti é interessado na representação das pessoas e dos lugares em desenvolvimento e nos extratos mais baixos. Isso o singulariza no modernismo brasileiro. Ele põe os olhos na cidade e nos subúrbios e tem grande interesse pelos morros cariocas, pela zona portuária, pelos bordéis e pelas rodas de samba”, afirmou o curador.

Segundo Ribeiro, a exposição foi fruto de um grande levantamento de localização das obras e reúne trabalhos do artista que integram mais de 60 coleções públicas e particulares do Brasil e de países como o Uruguai e a Argentina.

A mostra também pretende destacar aspectos menos conhecidos da trajetória do artista, como as ilustrações e charges que fez para revistas, livros e capas de discos, além de seu engajamento político: o artista foi filiado ao Partido Comunista. “Di sempre manteve estreita essa ligação entre política e pintura. Ele foi simpatizante de grupos de esquerda, mas sua obra não é panfletária. Essa ligação política é forte, mas atravessa de maneira diferente sua obra”, observou o curador.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212