Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Quase um terço das ligações para Disque Combate ao Preconceito é de idosos - Jornal Brasil em Folhas
Quase um terço das ligações para Disque Combate ao Preconceito é de idosos


Após as duas primeiras semanas de funcionamento do Disque Combate ao Preconceito, criado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) do Rio de Janeiro, chamou a atenção dos responsáveis pelo serviço o volume de ligações para tratar de assuntos relacionados à população idosa. “Foram 28% de contatos para fazer não só denúncias, mas consultas sobre os direitos dos idosos”, explicou o secretário Átila Nunes.

Segundo o secretário, a grande quantidade de ligações de pessoas acima de 65 anos mostrou que existe uma “lacuna forte” com relação a canais de contato para a população idosa. Com base nisso, a secretaria pretende reestruturar a ferramenta e criar canais próprios para esse público.

Para Átila Nunes, existe uma mistura de preconceito com falta de respeito pelos direitos dos idosos. “Muitas vezes, os idosos se sentem preteridos na sociedade, nos seus direitos mais básicos”. Ele mencionou que um exemplo é o transporte público. Segundo ele, as reclamações, quando são feitas diretamente às empresas ou concessionárias, costumam ser ignoradas. “Fica bem claro que há uma necessidade de se fazer um trabalho direcionado para essa parcela da sociedade”.

Serviço

O restantes das reclamações e denúncias (72%) envolveram situações relacionadas à intolerância religiosa, racismo e preconceito em relação à população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), entre outros casos. De modo geral, Átila Nunes informou que são feitas consultas perguntando sobre direitos, uma vez que esses aspectos nem sempres são claros para a população vulnerável.

O Disque Combate ao Preconceito atende pelo número (21) 2334-9551. Podem ser denunciados atos preconceituosos como xenofobia, LGBTfobia, racismo, intolerância religiosa, violência contra mulheres e idosos. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.

O secretário disse que a ideia, a partir dessa primeira etapa quando se começa a ter um raio-x do perfil das demandas, é ampliar o serviço, criando mais canais de atendimento.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212