Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 MPF-AM pede indenização de R$ 50 milhões por genocídio contra etnia indígena - Jornal Brasil em Folhas
MPF-AM pede indenização de R$ 50 milhões por genocídio contra etnia indígena


O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) pediu indenização de R$ 50 milhões de reais e um pedido de desculpas da União pelo extermínio de indígenas Waimiri-Atroari na ditadura militar. Os danos teriam sido cometidos durante a construção da BR-174, estrada liga Manaus a Boa Vista, que enfrentou resistência da etnia que ocupa a terra na região.

A procuradoria cita a Comissão Nacional da Verdade, que afirma que houve uma redução da etnia na época da construção da rodovia. Na década de 70, havia 3 mil indígenas vivendo na terra. Na década seguinte, a etnia registrava apenas 332 indivíduos.

O MPF alega que o conjunto de provas apresentadas à Justiça “demonstra que o Estado brasileiro promoveu ações baseadas nas políticas de contato e de ataques diretos aos indígenas que causaram a redução demográfica do povo Waimiri-Atroari em larga escala”.

Além da indenização e do pedido de desculpas oficiais, o Ministério Público pede que a União inclua as violações sofridas pelos índios no conteúdo das escolas nos ensinos fundamental e médio, com destaque ao genocídio do povo Waimiri-Atroari, que se autodenomina como povo Kinja.

Provas

Segundo o grupo de procuradores, os documentos, relatórios e depoimentos colhidos durante a apuração do caso indicam um genocídio praticado contra a etnia na construção da BR-174.

O MPF anexou à ação um ofício trocado entre comandantes militares, onde há ordens para “realizar pequenas demonstrações de força, para mostrar os efeitos de uma rajada de metralhadora, de granadas defensivas e da destruição pelo uso da dinamite” perante os índios. Há ainda depoimentos que relatam corpos sendo enterrados às margens da estrada e ataques áreas às aldeias.

O grupo do Ministério Público escreve na ação que “o Estado brasileiro patrocinou a invasão do território indígena e a redução da população Kinja, não medindo esforços para realizar o genocídio da etnia.” E que havia “pelo menos desde 1974 uma ação genocida do Estado brasileiro de ataques violentos, por bombas, tiros e torturas”, afirmam os procuradores.

A ação civil pública tramita na 3ª Vara Federal do Amazonas e é assinada pelo procurador da República Julio Araujo, coordenador do grupo Povos Indígenas e Regime Militar, e outros cinco procuradores.

Extermínio de indígenas

O MPF aponta a existência de duas visões do Estado brasileiro sobre os povos indígenas: a da “pacificação”, em que o contato produz um convívio harmonioso, e a do o extermínio. “Os indígenas eram vistos como um empecilho ao desenvolvimento nacional, cabendo às chamadas frentes de atração promover o deslocamento forçado de seus territórios, afastando-os dos empreendimentos que seriam realizados”, afirma o órgão em trecho da ação.

No caso da BR-174, o MPF defende que a “pacificação” foi insuficiente porque a obra precisava ser finalizada e havia forte resistência indígena. O acirramento das tensões teria resultado na segunda política: a de extermínio.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212