Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Secretaria do Rio apoia campanha para refugiados venezuelanos em Roraima - Jornal Brasil em Folhas
Secretaria do Rio apoia campanha para refugiados venezuelanos em Roraima


A Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI), do Rio de Janeiro, aderiu à campanha de refugiados venezuelanos que vai arrecadar, durante todo o mês de setembro, alimentos não perecíveis para ajudar refugiados daquele país no estado de Roraima, na Região Norte.

Falando hoje (5) à Agência Brasil, o titular da SEDHMI, Átila Nunes, informou que a pasta vai participar na parte da logística, com o objetivo de enviar os alimentos para Roraima.

Para quem quiser fazer doações, estão disponíveis seis pontos de coleta espalhados pela capital fluminense: Rua Jerônimo de Ornelas, 413, Cacuia, Ilha do Governador; Santuário das Almas, Rua Álvares de Azevedo, 237, Icaraí, Niterói; Pet Place, Av. Visconde de Pirajá, 76, Ipanema; Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), Estrada Dona Castorina, 110, Horto, Jardim Botânico; Avenida das Américas, 11.505, Condomínio Ministro Lafayette de Andrada, Barra da Tijuca; e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea.

“A gente está fazendo outras parcerias para viabilizar o envio desses artigos alimentares para Roraima. A dinâmica básica é essa”, disse o secretário. Átila Nunes avaliou que a vinda dos venezuelanos para o Norte do Brasil constitui uma preocupação nacional. Afirmou que Roraima é a porta de entrada mas, a partir dali, a tendência é que parte desse grupo acabe migrando para os grandes centros, principalmente no eixo Rio/São Paulo.

Impactos

“A gente acaba entrando na responsabilidade porque, querendo ou não, se tiver um aumento expressivo, o estado acaba sendo impactado. Hoje temos aqui estimados 1.550 refugiados venezuelanos no estado do Rio de Janeiro. Se tiver um agravamento da situação social na Venezuela, a gente não sabe qual pode ser o aumento desse número no Rio”, falou Nunes.

O secretário adiantou que caso isso venha a ocorrer, a SEDHMI passará a prestar serviços de atendimento aos refugiados, entre os quais validação de documentos. “Tem todo um desdobramento que a secretaria vai buscar resolver, junto com parceiros, caso a caso”,

De acordo com números fornecidos pela comunidade venezuelana, vivem atualmente no Rio de Janeiro, 1.135 venezuelanos, entre refugiados e migrantes. Dados divulgados pela SEDHMI mostram que no primeiro semestre deste ano, a Polícia Federal de Roraima contabilizou 5.787 pedidos de venezuelanos buscando refúgio, 3.500 a mais do que em todo o ano de 2016.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212