Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Alemanha: Merkel e Schulz disputam eleições para chanceler no fim de setembro - Jornal Brasil em Folhas
Alemanha: Merkel e Schulz disputam eleições para chanceler no fim de setembro


Angela Merkel e Martin Schulz vão disputar, em 24 de setembro, o cargo de chanceler da Alemanha. Segundo as últimas sondagens, a atual chanceler lidera as pesquisas e tem grandes chances de conquistar um quarto mandato.

Neste domingo (3), Merkel e Schulz participaram do único debate televisivo da campanha, visto como a principal oportunidade para os candidatos convencerem os cerca de 40% dos eleitores indecisos. O debate foi transmitido pelos quatro principais canais de televisão alemães e acompanhado por cerca de 20 milhões de espectadores, segundo informou a empresa pública de comunicação Deutsche Welle (DW).

De acordo com analistas, apesar de Schulz ter atacado duramente Merkel com questões sobre imigração e relações com a Turquia, a atual chanceler se saiu melhor no debate e segue com a maioria das intenções de voto. Merkel está no poder há 12 anos.

Antes do debate, Merkel apresentava uma vantagem de aproximadamente 15 pontos em relação a Schulz, que é ex-presidente do Parlamento Europeu e deixou o cargo no ano passado, para se candidatar ao posto de chefe de governo. Uma nova sondagem, realizada pela emissora pública ARD e divulgada após o debate, revelou que Merkel tem 55% das intenções de voto, contra 35% de Schulz.

A disputa, que envolve o país com maior população entre os estados-membros da União Europeia (82,2 milhões de habitantes), foi marcada por temas como a relação com a Turquia e a migração nos próximos 4 anos.

A primeira crítica de Schulz em relação à Merkel foi justamente sobre a sua política durante a crise dos refugiados que, segundo ele, não foi unânime dentro da UE. Merkel defendeu-se afirmando que a Alemanha passou por uma situação muito dramática e que “há momentos na vida de uma chanceler que exigem que se tome logo uma decisão”.

Já em relação ao fim das negociações para a adesão da Turquia à União Europeia, ambos os candidatos concordaram. Ficou claro que a Turquia não deve se tornar membro da União Europeia, afirmou Merkel. Quando eu for chanceler, cancelarei as negociações de adesão, disse Schulz.

Segundo o jornal britânico The Guardian, o posicionamento dos dois candidatos é muito semelhante em relação a diversos assuntos e o principal desafio de Schulz foi distanciar o seu partido, SPD, do CDU (partido de Merkel), pois ambos estiveram coligados duas vezes sob a administração de Merkel e têm propostas parecidas.

Schulz acusou Donald Trump de levar o mundo à beira de uma crise com seus posts no Twitter e defendeu que a Alemanha deveria trabalhar com os parceiros europeus, o Canadá e o México para fazer a oposição a Trump.

Ao receber críticas à sua política interna, Merkel disse que, ao longo dos seus 12 anos de mandato, o número de desempregados baixou de 5 milhões para 2,5 milhões. Ela negou, veementemente, os rumores de que seu partido irá aumentar a idade da aposentaria para 70 anos.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212