Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Tecnologia antissísmica a serviço dos mexicanos - Jornal Brasil em Folhas
Tecnologia antissísmica a serviço dos mexicanos


O terremoto de 8,2 de magnitude que sacudiu nesta quinta-feira (7) à noite a costa do Pacífico mexicano disparou rapidamente um alarme sonoro em toda a Cidade do México.

Alertados por 8.200 megafones instalados na capital federal, seus 20 milhões de habitantes saíram de suas casas, inclusive de pijama.

Há duas décadas, a associação CIRES fornece à cidade um sistema de sensores distribuídos ao longo da costa do Pacífico, onde o risco de terremotos é maior.

As ondas sísmicas podem percorrer em minuto as centenas de quilômetros que separam o litoral da capital. Podem causar danos significativos, uma vez que a grande cidade é construída sobre um antigo lago.

- Ondas de rádio -

Uma vez detectado o abalo sísmico, o sistema lança uma onda que desencadeia os alarmes em escolas, ministérios e outros escritórios, interrompendo automaticamente as transmissões de rádio.

Os mexicanos têm, então, um minuto para reagir e deixar os prédios antes que os mesmos comecem a tremer.

Essa tecnologia não estava disponível durante o terremoto de 19 de setembro de 1985, de 8,1 graus na escala Richter. Esse sismo devastou a capital, matando mais de 1.000 pessoas.

Instalados em um antigo prédio de três andares, os servidores dessa associação detectam todas as vibrações no solo, deflagrando automaticamente os alarmes.

Desde o lançamento do sistema em 1993, o CIRES soou mais de 60 alertas de terremoto com uma intensidade de pelo menos 6 na escala Richter.

- Alerta por telefone -

A tecnologia dos smartphones também se disseminou no México nos últimos anos, permitindo que seus habitantes recebam alertas por meio de aplicativos como SkyAlert, ou Alerta Sísmica DF.

Dois segundos após o início de um terremoto, o SkyAlert envia um sinal para os telefones celulares, que soam a mensagem alerta sísmico, e indica a intensidade do terremoto.

Lançado em 2013, o aplicativo era inicialmente conectado ao sistema CIRES, mas seu jovem fundador, Alejandro Cantu, implantou na costa mexicana seus próprios sensores, trazidos do Japão.

O aplicativo se popularizou rapidamente, e a versão gratuita tinha mais de três milhões de usuários em 2015.

Uma versão paga foi lançada posteriormente, o que permite personalizar os alertas.

Para avisar seus usuários, o aplicativo usa uma rede de banda larga em vez de linhas telefônicas - garantia de confiabilidade de acordo com seu fundador.

Nesta quinta-feira, porém, durante o maior tremor registrado no México em um século, o aplicativo SkyAlert permaneceu desesperadamente mudo.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212