Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mudanças climáticas farão com que furacões fiquem mais intensos - Jornal Brasil em Folhas
Mudanças climáticas farão com que furacões fiquem mais intensos


Furacões como o Irma, que atingiu o Caribe nesta quarta-feira, se alimentam da energia que os oceanos desprendem e, por isso, com o aumento das temperaturas, os cientistas acreditam que sua intensidade aumentará, mas sua frequência não.

- Século XX: incertezas -

Devido à falta de dados de satélites em escala planetária anteriores a 1970, é impossível saber como a atividade ciclônica evoluiu no século XX. Antes da instalação de um acompanhamento completo por satélite, até mesmo ciclones muito intensos passavam despercebidos se não tocassem terra, por exemplo.

No Atlântico norte, há cerca de 20 anos foi constatado um aumento da frequência dos ciclones, ao contrário de entre 1970 e 1995, segundo Franck Roux, da Universidade Paul-Sebatier de Toulouse (sudoeste da França).

Nesta região, os pesquisadores notaram que a atividade ciclônica segue ciclos de dezenas de anos e consideram que ainda não é possível dizer se o aumento do número de ciclones na zona se deve a uma variabilidade natural ou às mudanças climáticas.

No noroeste do Pacífico houve uma leve diminuição da atividade ciclônica entre 1980 e 2010.

- Século XXI: mais intensidade -

Os modelos informáticos que simulam o clima do século XXI revelam um possível aumento da intensidade dos ciclones (ventos e chuvas), e uma possível redução da sua frequência no planeta.

Os ciclones com uma intensidade maior são uma das consequências esperadas das mudanças climáticas, explica Valérie Masson-Delmotte, membro do GIEC, grupo de referência sobre o clima em nível mundial.

Quanto maior a temperatura da água e o nível de umidade, maior pode ser a intensidade do ciclone. E estes dois elementos são mais intensos devido ao aumento do efeito estufa, explica a climatologista. Consideramos que há 7% de umidade a mais na atmosfera para cada grau de aquecimento, diz.

- Nível do mar: ainda mais alto -

O aumento do nível dos oceanos é um dos sinais do aquecimento do planeta. Esta subida, variável segundo as regiões do globo, foi em média de 20 cm no século XX e poderia chegar a quase um metro em 2100.

Ao mesmo tempo, os ciclones também produzem ondas que geram marés de tempestade. Os dois efeitos combinados contribuirão para colocar em risco mais populações e construções costeiras.

- Rumo a um deslocamento dos ciclones -

Vários estudos mostram, segundo o Météo France (serviço meteorológico da França), que a latitude na que os ciclones alcançam sua intensidade máxima se deslocou em direção aos polos durante os últimos 35 anos, nos dois hemisférios.

Isto poderia estar relacionado com a expansão do cinturão tropical, ou seja, das zonas do equador terrestre onde reina um clima quente e úmido.

Lugares que estão mais habituados e mais bem preparados para os ciclones poderiam estar menos expostos e outros, menos preparados, poderiam estar mais, segundo James Kossin, da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (Noaa).

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212