Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Plataforma de direitos humanos prepara relatório sobre violência policial no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Plataforma de direitos humanos prepara relatório sobre violência policial no Rio


A Plataforma Dhesca Brasil deu início hoje (9) no Rio de Janeiro a uma missão de quatro dias para investigar a situação da violência policial em favelas do Rio de Janeiro. A entidade reúne 40 organizações da sociedade civil nas áreas de direitos humanos, econômicos, sociais, culturais e ambientais.

De acordo com a representante da Justiça Global e da Plataforma Dhesca, Melisandra Trentin, até o dia 12, ela e o relator da missão no Rio de Janeiro, Orlando Santos Junior, visitarão favelas do Complexo do Alemão para se reunir com ativistas, representantes de movimentos comunitários, mães e parentes de vítimas do Estado.

Segundo Melisandra, hoje o tema abordado é o impacto da violência na educação. “Como a violência policial tem rebatimento na educação, porque com os tiroteios as crianças não podem ir à escola, não indo à escola elas perdem a vaga e as famílias perdem o benefício do Bolsa Família. Estamos na Vila Olímpica do Alemão, fazendo um grupo para essa discussão”.

Santo Junior produzirá um relatório sobre o Impacto das Políticas Econômicas nos Direitos Humanos no Brasil.

O objetivo, segundo a Justiça Global, é evidenciar as consequências das políticas econômicas de austeridade adotadas pelo Brasil a partir de 2014 em diversas áreas, como a de segurança pública”. Ele abordará também o caso específico de Rafael Braga, único preso dentro do contexto dos protestos de 2013 que ainda continua na cadeia.

Na segunda-feira, serão feitas duas reuniões, envolvendo organizações e parentes de mortos de outras favelas. “O território em foco é o Alemão, mas a gente sabe que essa lógica da violência policial, da militarização acontece também em outras favelas aqui do Rio de Janeiro. Vamos reunir militantes de favelas que já atuam nos temas de direitos humanos e outra com familiares de vítimas fatais, com uma representatividade um pouco mais ampla”, explica Melisandra.

A Plataforma Dhesca realiza mais quatro missões atualmente: sobre os conflitos no campo e a política de reforma agrária, em Goiás, no Pará e em Mato Grosso; sobre a situação dos povos indígenas e da Fundação Nacional do Índio (Funai), no Maranhão e no Pará; sobre a população em situação de rua e as políticas públicas específicas, em São Paulo e no Paraná; e a tríplice epidemia, tratando da falta de assistência às mulheres e mães de crianças com microcefalia, relacionada às dificuldades do Serviço Único de Saúde (SUS) e do Plano Nacional de Saneamento Básico, em Pernambuco.

O relatório final trará recomendações ao governo federal e será usado para levar o debate para espaços nacionais e internacionais.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212