Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Bate-papo online discute perspectivas brasileiras para Paralimpíada de Tóquio - Jornal Brasil em Folhas
Bate-papo online discute perspectivas brasileiras para Paralimpíada de Tóquio


A contribuição do Bolsa Atleta para a formação de competidores de alto rendimento e as expectativas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020, foram os principais temas de um bate-papo online, nesta sexta-feira (15) entre o coordenador-geral do programa, Mosiah Rodrigues, o nadador Phelipe Rodrigues e os atletas Verônica Hipólito e Yohansson Nascimento.

No bate-papo, Phelipe ressaltou o quanto é importante o apoio que os atletas recebem. Phelipe, que começou a nadar aos 12 anos por recomendação médica, conquistou sete medalhas (quatro de prata e duas de bronze) em três edições de Jogos Paralímpicos (Pequim, em 2008, Londres, em 2012, e Rio de Janeiro, em 2016).

“Tenho certeza de que, sem o apoio que a gente tem hoje, não teríamos os resultados que tivemos”, disse o nadador, de 27 anos.

Na conversa, Verônica Hipólito lembrou que levar vida de atleta custa caro, por causa do treinamento pesado e da dieta especial para os que almejam chegar à categoria de alto rendimento. “Isso não é barato”, afirmou a atleta, que tem 21 anos, e saiu da última Paralimpíada, no Rio, com duas medalhas, uma de prata e uma de bronze.

Bolsa Atleta

Em 2005, o governo brasileiro criou o maior programa de patrocínio individual de atletas no mundo, o Bolsa Atleta. Com bolsas que variam de R$ 370 a R$ 15 mil, o programa permite que os atletas se dediquem ao treinamento para competições locais, sul-americanas, pan-americanas, mundiais, olímpicas e paralímpicas.

Para Verônica, o Bolsa Pódio, nova categoria do programa Bolsa Atleta, oferece aos atletas oportunidade de aumentar o rendimento paralímpico. “Existem muitos países em que ainda se diz que é um deficiente praticando um esporte, mas não é. É um atleta de alto rendimento”, enfatizou.
Rio de Janeiro - O coordenador do Bolsa Atleta, o ex-ginasta Mosiah Rodrigues, fala sobre o programa (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O coordenador do programa Bolsa Atleta, Mosiah Rodrigues Tomaz Silva/Arquivo/Agência Brasil

Para o coordenador do programa, Mosiah Rodrigues, o suporte financeiro é um dos pilares para a construção de um atleta que vai em busca da medalha de ouro, e o Bolsa Atleta é uma forma de contribuição, porque ajuda em vários fatores, como as equipes multidisciplinares, estrutura, treinadores, centro de treinamentos e equipamentos.

“A gente consegue treinar na mesma condição que o nosso adversário”, destacou Mosiah, que foi o único representante brasileiro na ginástica artística masculina na Olimpíada de Atenas, em 2004.

Depois das medalhas de prata e bronze na Rio 2016, Verônica está confiante e se prepara para a conquista do ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020. “Agora eu quero o ouro e eu vou atrás do ouro”, afirmou.

Com sede em São Paulo, o Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro atende a atletas de diversas modalidades: atletismo; basquetebol em cadeira de rodas; bocha; natação; esgrima em cadeira de rodas; futebol de cinco; futebol de sete; goalball; halterofilismo; judô; rúgbi em cadeira de rodas; tênis em cadeira de rodas; tênis de mesa e voleibol sentado.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212