Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA aumentam pressão sobre a Coreia do Norte - Jornal Brasil em Folhas
EUA aumentam pressão sobre a Coreia do Norte


O governo de Donald Trump aumentou, neste domingo (17), a pressão sobre a Coreia do Norte, na véspera da Assembleia Geral da ONU, onde os Estados Unidos buscarão sanções internacionais contra Pyongyang.

O ponto crucial é unir todos os países para que façam todo o possível para fortalecer essas sanções, fazer o necessário para resolver esse problema sem chegar a um conflito militar, declarou em uma entrevista à ABC o general H.R. McMaster, conselheiro de Segurança Nacional do presidente Trump.

Os americanos apontam, particularmente, para China e Rússia, dois aliados econômicos de Pyongyang e com os quais compartilha fronteiras.

Todas as opções estão sobre a mesa, advertiu ao canal ABC o general, citando uma fórmula diplomática para se referir a uma ação militar.

A embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, foi ainda mais taxativa em entrevista à CNN.

Todos sabemos que, basicamente, se a Coreia do Norte continuar com esse comportamento insensato, se os Estados Unidos tiverem que se defender ou defender seus aliados, a Coreia do Norte será destruída, declarou Haley à CNN. Nenhum de nós quer isso, ninguém quer a guerra.

Pyongyang realizou recentemente seu sexto teste nuclear e vários disparos de mísseis intercontinentais, o último na sexta-feira (15), com um míssil que sobrevoou o Japão.

A atitude foi percebida como uma provocação, poucos dias depois da aprovação pelo Conselho de Segurança da ONU de um oitavo pacote de sanções contra a Coreia do Norte.

Neste domingo, Trump e o presidente sul-coreano, Moon Jae-In, comprometeram-se a exercer uma maior pressão sobre Pyongyang.

Ambos os dirigentes concordaram em exercer uma maior pressão e mais concreta para que o regime norte-coreano entenda que mais provocações vão conseguir apenas reforçar o isolamento diplomático e as pressões econômicas que levarão a seu colapso, declarou a Presidência sul-coreana em um comunicado.

Na última segunda-feira (11), o Conselho de Segurança da ONU adotou por unanimidade uma nova resolução de sanções para obrigar a Coreia do Norte a renunciar a seus programas balístico e nuclear.

A aplicação das sanções será discutida durante uma reunião do Conselho de Segurança na quinta-feira.

Mas, apesar dos esforços, as sanções não foram capazes de dissuadir Kim Jong-Un sobre o seu programa nuclear e balístico.

Citado no sábado (16) pela agência estatal de notícias KCNA, Kim declarou que o objetivo final é estabelecer um equilíbrio de forças real com os Estados Unidos para que os governantes americanos não sigam falando de opção militar contra a Coreia do Norte.

O líder norte-coreano disse ainda que o lançamento do míssil de médio alcance do tipo Hwasong-12 foi um sucesso e aumentou o poderio bélico nuclear do país. O artefato sobrevoou o Japão antes de cair no oceano Pacífico.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212