Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Abr de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 BNDES vai antecipar resgate de R$ 50 bi ao Tesouro - Jornal Brasil em Folhas
BNDES vai antecipar resgate de R$ 50 bi ao Tesouro


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai antecipar o resgate ao Tesouro Nacional de R$ 50 bilhões. O pagamento da primeira parcela, no valor de R$ 33 bilhões será feito na próxima semana, e a segunda, de R$ 17 bilhões, em outubro.

A informação foi dada hoje (21) pelo diretor da Área Financeira e Internacional do BNDES, Carlos Thadeu de Freitas, na abertura da sessão especial do Fórum Nacional, organizado pelo Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae).

“Estamos resgatando antecipadamente”, confirmou Thadeu de Freitas. Ele explicou que o BNDES tem um contrato longo com o Tesouro, que está resgatando “dentro do que foi acertado”. Segundo o diretor, há espaço para que o banco efetue esse resgate. “Não vejo motivo nenhum para não fazê-lo”.

A intenção do governo federal para que o BNDES devolva R$ 130 bilhões ao Tesouro ainda está sendo negociada, segundo Thadeu de Freitas. “O resgate antecipado para 2018 está sendo discutido com o Tesouro e, provavelmente, vão chegar, ao longo do tempo, a números”.

Thadeu de Freitas disse que para ter capacidade de emprestar e devolver recursos ao Tesouro, inclusive, o BNDES terá que buscar recursos que lhe permitam concorrer no mercado de capitais a um custo menor. “O BNDES quer ter um funding que permita a ele ser competitivo no longo (prazo), mas não pode ter um funding caro que não possa emprestar”.

O BNDES, segundo o diretor, vai procurar fontes alternativas de captação de recursos via bônus externos, principalmente, a um custo mais barato.

Repasses

De acordo com informação do BNDES, o saldo atual de repasses do Tesouro ao banco é de R$ 452,6 bilhões. Em 2015, o BNDES pagou antecipadamente ao Tesouro R$ 15 bilhões; em janeiro de 2016, foram pagos R$ 13 bilhões e, em dezembro do ano passado, foi efetuado o resgate de R$ 100 bilhões.

Calote

Thadeu de Freitas descartou a possibilidade de o BNDES sofrer calote do governo da Venezuela por empréstimos feitos na área de infraestrutura, porque “o banco só opera na área externa com o Fundo Garantidor de Crédito. Ele tem todas as garantias do fundo e tem garantias que ele pega também”. Não há risco de calotes ou possíveis calotes, assegurou. “O banco tem uma capacidade enorme de pegar garantias”. Para o banco, isso não é preocupante, acrescentou. O Tesouro Nacional é o fiador do Fundo Garantidor de Crédito.

 

Últimas Notícias

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão
Ex-presidente do Peru está em estado grave após tentativa de suicídio
Governo argentino lança pacote de medidas para combater inflação
PRF apreende no Rio 300 mil maços de cigarros contrabandeados
Famílias de baixa renda de Brumadinho recebem auxílio emergencial
Governo autoriza uso da Força Nacional para segurança na Esplanada
Chega a 18 número de mortos no desabamento no Rio de Janeiro
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - EXPEDIENTE