Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


26 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Lavrov: ameaça de uso da força contra Venezuela é inaceitável - Jornal Brasil em Folhas
Lavrov: ameaça de uso da força contra Venezuela é inaceitável


A ameaça do uso da força contra a Venezuela ou qualquer outro país é inaceitável, disse nesta quinta-feira o chanceler russo, Serguei Lavrov, na Assembleia Geral da ONU, em uma referência às recentes declarações do presidente americano, Donald Trump.

É inaceitável incitar desordens e ameaçar com o uso da força para tentar democratizar a Venezuela ou minar as autoridades legítimas de qualquer país, expressou o chefe da diplomacia russa, sem mencionar a Casa Branca.

No início de agosto, Trump provocou alarme em toda a região ao declarar que sua equipe de governo avaliava opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar.

De acordo com Lavrov, em uma situação de conflito doméstico a comunidade internacional tem que impulsionar as partes a alcançar uma reconciliação nacional.

As tentativas de ignorar as opiniões e utilizar ultimatos sem o apoio da Carta das Nações Unidas nunca levou a nada de bom.

A clara ameaça de Trump à Venezuela provocou a imediata reação adversa de vários países latino-americanos, incluindo fortes críticos do governo de Caracas, e inclusive do Mercosul, que chegou a suspender a Venezuela como membro.

Os governos de México e Colômbia foram os primeiros a rechaçar publicamente, de forma enérgica, qualquer ameaça de uso da força militar contra a Venezuela.

Em nota, os membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) assinalaram que os únicos instrumentos aceitáveis para a democracia são o diálogo e a diplomacia.

Na segunda-feira, véspera do início da Assembleia Geral da ONU, Trump teve um jantar com os líderes de Brasil, Colômbia, Peru e Argentina, a quem sugeriu que aumentem a pressão pública sobre a Venezuela.

Lavrov se reuniu nesta quinta-feira com o chanceler Aloysio Nunes, com quem analisou a questão da Venezuela.

O chanceler russo quis saber como vemos a situação na Venezuela. Expliquei a ele a nossa posição, que se trata de um país que iniciou um caminho autoritário, disse Aloysio Nunes à imprensa na sede da ONU.

Na opinião do chefe da diplomacia brasileira, a Venezuela vive uma crise política que se agrava (...) e há um fluxo migratório em razão da profunda desorganização da economia.

Os 12 países da América que consideram que na Venezuela houve uma ruptura da ordem democrática se reuniram na quarta-feira, à margem da Assembleia Geral da ONU, e concluíram que a situação se agravou no país.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212