Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Lavrov: ameaça de uso da força contra Venezuela é inaceitável - Jornal Brasil em Folhas
Lavrov: ameaça de uso da força contra Venezuela é inaceitável


A ameaça do uso da força contra a Venezuela ou qualquer outro país é inaceitável, disse nesta quinta-feira o chanceler russo, Serguei Lavrov, na Assembleia Geral da ONU, em uma referência às recentes declarações do presidente americano, Donald Trump.

É inaceitável incitar desordens e ameaçar com o uso da força para tentar democratizar a Venezuela ou minar as autoridades legítimas de qualquer país, expressou o chefe da diplomacia russa, sem mencionar a Casa Branca.

No início de agosto, Trump provocou alarme em toda a região ao declarar que sua equipe de governo avaliava opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar.

De acordo com Lavrov, em uma situação de conflito doméstico a comunidade internacional tem que impulsionar as partes a alcançar uma reconciliação nacional.

As tentativas de ignorar as opiniões e utilizar ultimatos sem o apoio da Carta das Nações Unidas nunca levou a nada de bom.

A clara ameaça de Trump à Venezuela provocou a imediata reação adversa de vários países latino-americanos, incluindo fortes críticos do governo de Caracas, e inclusive do Mercosul, que chegou a suspender a Venezuela como membro.

Os governos de México e Colômbia foram os primeiros a rechaçar publicamente, de forma enérgica, qualquer ameaça de uso da força militar contra a Venezuela.

Em nota, os membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) assinalaram que os únicos instrumentos aceitáveis para a democracia são o diálogo e a diplomacia.

Na segunda-feira, véspera do início da Assembleia Geral da ONU, Trump teve um jantar com os líderes de Brasil, Colômbia, Peru e Argentina, a quem sugeriu que aumentem a pressão pública sobre a Venezuela.

Lavrov se reuniu nesta quinta-feira com o chanceler Aloysio Nunes, com quem analisou a questão da Venezuela.

O chanceler russo quis saber como vemos a situação na Venezuela. Expliquei a ele a nossa posição, que se trata de um país que iniciou um caminho autoritário, disse Aloysio Nunes à imprensa na sede da ONU.

Na opinião do chefe da diplomacia brasileira, a Venezuela vive uma crise política que se agrava (...) e há um fluxo migratório em razão da profunda desorganização da economia.

Os 12 países da América que consideram que na Venezuela houve uma ruptura da ordem democrática se reuniram na quarta-feira, à margem da Assembleia Geral da ONU, e concluíram que a situação se agravou no país.

 

Últimas Notícias

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro
Marcha da Consciência Negra pede democracia, direitos e fim do racismo
Bolsonaro diz que vai seguir normas legais para indicação à PGR
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
Conselho de Ética da Câmara arquiva representação contra Laerte Bessa
Reunião do Escola sem Partido é novamente suspensa em comissão mista
Eunício e equipe do futuro governo voltam a discutir cessão onerosa
Brasil encerra o ano com vitória sobre Camarões por 1 a 0

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212