Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Overdoses de opioides reduzem em 2,5 meses expectativa de vida nos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Overdoses de opioides reduzem em 2,5 meses expectativa de vida nos EUA


O aumento das mortes ligadas às drogas nos Estados Unidos, sobretudo a opioides e opiáceos como analgésicos e heroína, reduziu em quase três meses a expectativa de vida no país, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira.

Só os opiáceos (derivados do ópio, como heroína e morfina) e opioides (substâncias com ação semelhante à do ópio, como fentanil e outros analgésicos) contribuíram para a redução de dois meses e meio (0,21 ano) da expectativa de vida, segundo a pesquisa publicada pela revista Journal of the American Medical Association (JAMA).

O estudo, dirigido por pesquisadores dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, busca reduzir os efeitos das drogas na expectativa de vida americana, que em 2015 começou a cair pela primeira vez desde a crise da aids nos anos 1980.

As mortes causadas por drogas mais que triplicaram no país desde o ano 2000. Em geral, este aumento nas mortes ligadas a drogas reduziu em 3,36 meses em média a expectativa de vida dos americanos.

Entre 2000 e 2015, a expectativa de vida aumentou, mas as mortes por drogas contribuíram para a perda de de 0,28 ano, indica a pesquisa no JAMA.

Esta perda, fundamentalmente relacionada com opioides, é de uma magnitude similar à das perdas pelas principais causas de morte, com crescentes taxas de mortalidade durante este período combinado.

O aumento de mortes causadas por lesões acidentais, Alzheimer, suicídio, doença hepática crônica e septicemia contribuíram para uma redução da expectativa de vida de 0,33 ano.

No geral, a expectativa de vida ao nascer nos Estados Unidos aumentou em dois anos desde 2000, quando era de 76,8 anos, até 2015 (78,8 anos).

Este aumento é resultado da redução das taxas das principais causas de morte, como doenças coronárias, câncer, diabetes, gripe, pneumonia e doenças renais.

Mas o efeitos dos opioides e opiáceos é notório. Em 2015, mais de 52.000 mortes foram atribuídas a overdoses de drogas, em comparação com 17.000 em 2000.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212